sábado, 15 de agosto de 2009

Sebastião manda notícias

Ontem recebi uma carta do Sebastião. Como vêem pela foto, está com new-look, mas muito mal humorado. Vou transcrever um excerto da carta para vocês lerem:
“Com que então, pensavas que eu não lia o CR enquanto estou de férias, não é? És um ingrato… apanhas-me pelas costas e metes logo aí duas madames para te fazerem companhia. Podes dizer-me quem são essas galdérias? Ainda por cima, já percebi que quando regressar vou ter de aturar uma delas. Chamaste-lhe Brites? Por acaso até gosto do nome, mas espero que seja uma cotovia de ficção como a padeira!Já percebi que a galdéria está armada em vedeta, com toda a gente a dar-lhe mimos. A começar por ti… Há tanto tempo a fazer-te companhia e nunca me deste um elogio. És um ingrato! Tenho de pensar duas vezes, antes de decidir se volto para aí no final das férias.E que ideia é aquela de usar chapéu? Fica ridícula à brava. Mas está parecida contigo quando usas chapéu, lá isso é verdade. Não sabia é que suportavas a ideia de ter concorrência… a mim nunca me deste oportunidade de brilhar, porque tinhas medo que eu te ofuscasse com a minha cultura. Não podes ver umas penas sedosas, ficas logo todo embeiçadinho e deixas que te façam tudo.Olha, eu estou aqui muito bem na floresta. Se quiseres que volte, tens de me vir buscar. Mas não venhas antes do fim do mês, ouviste? E não tragas a galdéria, porque temos de ter uma conversa muito séria no caminho.
Adeus
Sebastião”
Estou tramado! Agora que é que eu faço? Deixo o Sebastião a apodrecer na floresta ou vou buscá-lo em reconhecimento dos serviços prestados e habituo-me à ideia de ter de suportar as discussões entre os dois, até se familiarizarem? Estou tentado a ir buscá-lo. E vocês, que sugerem?