domingo, 3 de maio de 2009

E por que não?

" Por que será que não nos custa nada acreditar na ruindade, na crueldade e no horror do mundo, mas quando falamos de bons sentimentos imediatamente se nos desenha um ricto irónico na cara e os consideramos umas patetices?"

( Rosa Montero in "Instruções para Salvar o Mundo")

Acabo de ler isto quando piso novamente o chão de Lisboa. Não posso deixar de concordar. Se fossemos mais optimistas, mais positivos, talvez pudessemos construir um país melhor e deixar aos nossos filhos, como legado, um mundo mais seguro e mais justo. Porquê passar a vida a carpir, em vez de aproveitar o lado bom das coisas?