quarta-feira, 8 de abril de 2009

Momento de Humor (22)

Já todos sabíamos que havia grandes diferenças entre Obama e Sarkozy, no entanto as suas "caras metade" explicam , de forma deveras impressiva, a dimensão dessa diferença.



Pelo país dos blogs (43)

Dois pacotes de leite atravessaram a rua e foram atropelados.
Um morreu, o outro não, porquê?
Se quer saber a resposta, vá aqui. Se não quer, vá na mesma... porque este blog dá mimos.

Nem de propósito...

Depois do que escrevi ontem aqui, sobre "O Fiel Jardineiro", a Associação Nacional de Farmácias, a Ordem dos Médicos e o Governo entraram em guerra, por causa dos genéricos.
A Ordem dos Médicos afirma que a ANF se move por interesses económicos ( parece que domina a distribuição e tem um acordo com a Helath Care que produz genéricos), o Governo- em minha opinião bem- diz que não comparticipa genéricos que não tenham sido prescritos pelo médico, a ANF acusa o governo e exige a mudança da lei e António Arnaut, o "pai" do Serviço Nacional de Saúde, vem defender que a decisão deve ser do doente.
No meio desta guerra, quem se trama é o doente, mas isso não interessa nada aos guerrilheiros.
A propósito: lembram-se da campanha a favor dos genéricos promovida pelo governo? Que terá mudado desde então?

Noivado

Um dia destes, numa troca de comentários, lembrei-me deste conto do Mário Henrique Leiria, dito pelo Mário Viegas, numa noite memorável em Macau. Decidi trazê-lo para aqui:
Estendeu os braços carinhosamente e avançou, de mãos abertas e cheias deternura.
- És tu Ernesto, meu amor?
Não era. Era o Bernardo.
Isso não os impediu de terem muitos meninos e não serem felizes. É o que faz a miopia.
( Contos do Gin Tónico)