quarta-feira, 18 de março de 2009

Momento de Humor (21)

Um casal do "jet set" foi de férias para o Amazonas.
Um dia decidem sair do hotel para passar o tempo, alugam uma lancha e vão navegar para o rio...
Às tantas, a embarcação bate num tronco, faz um rombo, começa a meter água e a afundar-se.
Os crocodilos que se ncontravam na margem, ao verem aquele manjar, atiram-se imediatamente à água...
Ela,excitada, exclama para o marido:
"Oh Bernardo... Eu acho o máximo o Amazonas!... Já viu???... Para além do hotel ser super estupendo e a lancha ser imensamente, benzoca... os salva-vidas são da "Lacoste"!

Jornalismo: Works in Progress

Domingo à noite, foi notícia a morte de um menino de 4 anos, na praia de Lavadores.
Na segunda feira soube-se que o menino se chamava Diogo.
Desde ontem, ficámos todos a saber que afinal o menino "se chamava" sobrinho de Simão Sabrosa.
É assim que se faz, hoje em dia, jornalismo em Portugal.
Adenda: O afogamento ocorreu na praia da Quebrada( Matosinhos) e não em Lavadores, como muito oportunamente lembra a Margarida Pereira na caixa de comentários. Obrigado!

O "Bom" Barqueiro


Quando vi o presidente da Junta de Freguesia de Barqueiros denunciar o caso dos meninos ciganos, não me espantei. Quem conhece bem o meio escolar não se espanta com estas coisas. Quando Margarida Moreira – Directora Geral da DREN- veio falar de “discriminação positiva” , revoltei-me. Não devia.
Hoje, leio que são os ciganos a elogiar esta situação- que pretendem seja mantida - e a insurgir-se contra o presidente da Junta de Freguesia. Volto a revoltar-me, mas agora comigo e com a minha precipitação de análise.
Devia saber, por experiência, que se os ciganos não quisessem esta situação, há muito a teriam denunciado. E devia ter desconfiado que o presidente da Junta estava a querer fazer política com toda esta história. Por vezes, continuo a ser ingénuo e a acreditar na bondade de algumas pessoas que chamam as televisões para denunciar injustiças, quando afinal a sua preocupação não vai além de objectivos pessoais. Devia haver jornalistas que não fossem no engodo mas, infelizmente, o sensacionalismo cada vez mais prevalece sobre a objectividade e o rigor da notícia.
É por essas e por outras que me afasto do jornalismo e da política- um casamento que nunca pode dar certo. Se eu vivesse em Barqueiros, aquele presidente da junta não seria de certeza reeleito.