quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Estes ingleses devem estar loucos!


Assusta-me a febre proibicionista que alastra pelo mundo “dito” civilizado.
Criar zonas para beijoqueiros nestes locais, só pode ser ideia de mentes deformadas. O problema é que são essas mentes que nos governam e, provavelmente, o D. Saraiva achará esta medida perfeitamente normal…
Curioso, é que há bem pouco tempo, alguns vizinhos espantavam-se por eu ter dito que fora multado em 500 pesetas, por dar um beijo na praia ( em Espanha). Já foi há muito tempo, era eu uma criança, mas pelos vistos a história repete-se e os loucos reencarnam.

Destruir depois de ler

A Cristina pede-me que indique seis particularidades da minha personalidade. Assim começo a responder à lista de desafios que tenho para cumprir.
- Gosto de viajar sozinho, principalmente fora da Europa. Sinto tudo de outra forma ( alguma coisa muito íntima que não sei explicar, me põe os sentidos em turbilhão quando viajo apenas na minha companhia) torna-se mais fácil entrar em contacto com as populações e conhecer melhor os hábitos locais.
-Não gosto de dormir em quartos sem estores ( ou serão persianas?) porque acordo logo ao raiar do dia.
-Preciso de silêncio absoluto e de estar confortável para ler um livro.
-Aprecio uma boa conversa, com trocas de opiniões civilizadas, mas sou avesso a discussões exaltadas. Quando um interlocutor levanta demasiado a voz, reajo mal. Prefiro a força dos argumentos
- Nasci em Portugal, viajei pelos cinco continentes, vivi em três, mas é na América Latina que me sinto em casa. Só lá consigo ser completamente feliz.
- Detesto fanatismos e fundamentalismos, mas não acredito que a virtude esteja no Centr(ã)o.

Agora, passo este desafio à Dulce, Miepeee, Monique, Senhora e Teddy Lover

Momento de Humor( 18)

Para desanuviar do post anterior...

Duas amigas encontram-se no céu e uma pergunta para a outra:
- Como morreste?
- Congelada.
- Ai que horror!!! Deve ter sido horrível! Como é morrer congelada?
- É péssimo: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo a congelar... Mas, depois veio um sono muito forte. E depois perdi a consciência... E tu, como morreste?
- Eu? De ataque cardíaco. Eu estava desconfiada que o meu marido me traía. Um dia cheguei a casa mais cedo. Corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente a ver televisão. Desconfiada, corro até à cave, para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém. Corri até ao segundo andar, mas também não vi ninguém. Subi até ao sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí morta.
- Oh, que pena... Se tivesses procurado na arca congeladora, estaríamos ambas vivas!!!!