quinta-feira, 5 de março de 2009

Num supermercado perto de si...

Aos leitores mais sensíveis, recomendo que antes de lerem este post, vão aqui para perceber a razão porque o escrevi.
Ano de 2029, num supermercado perto de si.
Paula e Teresa casaram no último fim de semana. Ontem, decidiram ir ao supermercado fazer compras. No balcão do talho deixaram-se seduzir pelos embriões. Paula sugeriu de imediato que comprassem uma embalagem com um menino loiro de olhos azuis e 1,90m. Teresa olhou para o preço e sugeriu:
- Estamos no início de vida, Paula. Não achas que este é muito caro? Que tal se optássemos por aquele que está em promoção? Só mede 1,75, mas tem uns cabelos azeviche e uns olhos castanhos que são uma beleza!
-Estás a ver mal a coisa, Teresa! Não vês que o loiro de olhos azuis vem com um kit incorporado que o isenta de pagamento de propinas até entrar na Universidade?
- Isso não é vantagem nenhuma, Paula. Podemos ensiná-lo a ler e quando chegar aos 18 anos vai frequentar um curso de “Novas Oportunidades”. Num ano sai de lá com um curso superior.
- Vês sempre as coisas pelo lado económico, Teresa! Não devia ter casado contigo…
- Estou apenas a ser prática, Paula! Mas se o teu problema é o miúdo ser moreno e preferes um loiro de olhos azuis, que tal comprarmos aquele que é mais baixito e não tem kit incorporado?Paula pensou durante uns instantes. Deixou escapar um suspiro profundo e disse:
- Pronto, se é assim que queres…
- Já vi que não estás convencida. Pronto, levamos então o que tu queres. Talvez seja um bom investimento…
Paula sorriu e deu um repenicado beijo a Teresa. Preparavam-se para pegar na embalagem, quando foram surpreendidas pela chegada de Pedro e Tomás
- Tomás, já viste este loirinho de olho azul com 1,90m? É tão querido...vamos levá-lo?
- É p’ra já, Pedro!
Pegaram na embalagem e dirigiram-se apressadamente para a caixa registadora.
Paula e Teresa entreolharam-se desconsoladas.
- Paula não fiques triste, vais ver que arranjamos um nos saldos.

9 comentários:

  1. Wowww... Que história!... Tadinha da Paula, acabou ficando sem seu loiro de olhos azuis... rs...

    ResponderEliminar
  2. E eu lendo... Impressionada... Um diálogo tão absurdamente provável!

    Ah! Hoje eu li no jornal que descobriram porque os cabelos ficam brancos! Adeus, tintas! :)

    Talvez em 2029 eu ainda esteja inteirona para escutar um diálogo desses num hipermercado.

    ResponderEliminar
  3. No meu caso foi ao contrario fui eu que escolhi os meus pais.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Espero ainda estar por cá por essa altura para constatar um futuro um pouco diferente, para melhor, desse que aqui antevês.

    PS: Gostei de descobrir este espaço.

    ResponderEliminar
  5. Desculpe lá ó Sr. Dr., o masculino aqui refere-se ao embrião em si ou ao sexo que os embriões vão ter quando chegarem ao ar livre?

    ResponderEliminar
  6. É pá, gaita, muita futurista esta cena, man!!! Mas não haverá aí um sósia do Rodrigo Santoro, por acaso?:)

    ResponderEliminar
  7. Guarda bem o texto para depois validarmos as possiveis diferenças, ou será semelhanças com a tua visão de hoje?

    ResponderEliminar
  8. Pedro: nessa ltura já devo estar a fazer tijolo!

    ResponderEliminar