sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Pronúncia do Norte (6)

SAMEIRA = = CARICA

Este é especialmente dedicado aos curiosos que não sabiam o que é uma "corrida de sameiras".

Traçava-se um circuito na areia e depois impulsionávamos as sameiras com toques subtis dos dedos, até chegar à meta. Para maior aderência das sameiras, enchiam-se com estearina. O resto deixo para a caixa de comentários onde aqueles que, como eu, praticaram este nobre desporto na praia ( mas também havia circuitos citadinos...) darão os seus preciosos contributos

Pelo país dos blogs (36)

A Monique Lobo é uma jovem que descobriu há pouco tempo o Rochedo e se tornou visita diária.
Nos últimos dias tem andado desaparecida e deixou de escrever posts na sua Conversa (A)fiada.
Voltou com um post triste explicando a sua ausência: morreu a Xuxa, sua companheira e amiga e ela está destroçada. Sem força nem ânimo para escrever ou blogar. Vão até lá dar-lhe um bocadinho de ânimo, para ver se ela volta para nossa companhia.
E não deixem de ler a carta linda que ela escreveu a Obama!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Freepost

Disse, há tempos, que só em circunstâncias excepcionais quebraria a promessa de escrever aqui sobre política portuguesa. Ainda não é hoje. Permito-me, no entanto, recomendar-vos a leitura deste meu desabafo no Delito de Opinião.

Momentos de Humor (16)

A tensão criada pela expectativa do comunicado de Sócrates, fez-me recordar esta história:

O Ricardo é um miúdo de 10 anos. Ontem perguntaram-lhe:
O que temos de fazer para que o casamento tenha sucesso?
Temos de dizer à nossa mulher que ela é linda, mesmo que se pareça com uma camioneta... estampada- repondeu o miúdo.

"Love is in the air...

.... Everywhere you look around"

Impulsionados pela chuva e pela generosidade da vizinhança, chovem prémios para o Rochedo e para todo o blogobairro. Aproveitei a hora do almoço , peguei no cestinho das compras e fui fazer a recolha. O de cima foi atribuído pela Borboleta.
Os três que se seguem foram atribuídos pela Bluevelvet
Obrigado pela vossa simpatia!



Este blog está no coração da Bluevelvet, mas também no meu....


Há quem o considere brilhante...


E o blogueiro é, indubitavelmente, fiel às suas amizades.
Acredito que esta chuva de prémios se deva em parte ao S. Pedro e, se assim for, vai continuar em Fevereiro.
Pelo menos é o que anunciam as "Têmporas" ( lembram-se?) que acertaram em cheio nas previsões de Janeiro e prometem um Fevereiro instável, com alguns dias soalheiros, mas também bastante chuva.


quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Pronto, então lá vai...

Pois então aqui vai a "Revelação". Como sabem, começou na segunda-feira o Ano do Búfalo e o que vos tenho a revelar tem a ver com a China. Sabem que há um jornalista, chamado HO KA LONG, que durante alguns anos escreveu num jornal de Macau artigos sobre a vida cultural daquele Território? Provavelmente não sabem e estarão a perguntar: mas que é que isso nos interessa? Realmente não interessa nada, mas fica aqui registado para a posteridade- se algum dos vizinhos ou visitantes andou por Macau e se interrogava sobre quem seria o tal jornalista- que esse jornalista era eu e que assinava com esse nome, porque HO KA LONG é o meu nome em chinês.

Eu sei que isto não tem piada, nem é nenhuma revelação bombástica, mas foi o que se pôde arranjar. Estavam à espera de quê? Que vos viesse aqui falar da minha vida amorosa? O Rochedo ainda não é cor de rosa! Já foi azul, agora é vermelho, e quando chegar a prmavera vai voltar provavelmente a ser azul. Pronto, descarreguem a vossa ira na caixa de comentários, que eu não me importo. Agora, digam todos comigo: ORA BOLAS!

Momento de Humor (15)

NÂO ACONSELHÁVEL A PESSOAS SUSCEPTÍVEIS!

Um sujeito entra num bar novo, hi-tech, e pede uma bebida. O barman é um robô que pergunta:
- Qual é o seu QI?
O homem responde:
- 150.
Então o robô serve um cocktail perfeito e inicia uma conversa sobre aquecimento global, espiritualidade, física quântica, interdependência ambiental, teoria das cordas, nanotecnologia e por aí.
O tipo ficou impressionado, e resolveu testar o robô. Saiu, deu uma volta e retornou ao balcão. Novamente o robô pergunta:
- Qual é o seu QI?
O homem responde:
- Deve ser uns 100.
Imediatamente o robô serve-lhe um whisky e começa a falar, agora sobre futebol, fórmula 1, super-modelos, comidas favoritas, armas, corpo da mulher e outros assuntos semelhantes.
O sujeito ficou abismado. Sai do bar, pára, pensa e resolve voltar e fazer mais um teste. Novamente o robô lhe pergunta:
- Qual é o seu QI?
O homem disfarça e responde:
- Uns 20, acho eu!
Então o robô serve-lhe uma pinga de tinto, inclina-se no balcão e diz bem pausadamente:
- E então meu, o nosso Benfica?

And the winner is...


Antes de mais, muito obrigado a todos os que participaram no passatempo e também à Bluevelvet, que me lançou o desafio.
Embora não seja grande apreciador do género, vi neste algumas potencialidades para “dar a volta” às regras e organizar este passatempo. Foi um teste para passatempos futuros que penso lançar no CR, com direito a prémios. Mas sobre isso darei notícias no próximo mês.

Foi por um triz que não tive um problema. É que, depois de ter lançado o passatempo, reparei que além de uma mentirinha, havia um pequeno erro, logo na resposta 1. Na verdade tive um pub em Lisboa durante o PREC ( em sociedade) mas a compra foi efectuada no início de Abril de 74. Só o Pedro Oliveira votou nessa hipótese, mas o palpite passou ao lado, porque as razões por ele invocadas para a escolha não são as verdadeiras. Na verdade foi mesmo em sociedade ( com o meu irmão e um amigo) que comprei o pub.
A hipótese de mentira mais votada foi a da Françoise Hardy. Lamento ter de vos dizer, mas é verdade! Os raciocínios foram correctos (sou realmente uns bons anos mais novo do que ela) mas acontece que eu tinha um irmão da idade dela ( que tocava guitarra) e dois mais velhos. Passávamos férias no mesmo hotel, daí o conhecimento e posterior amizade. Brinquei com ela na areia, sim, mas a jogar ao prego, a fazer corridas com sameiras ( alguns não sabem o que é, mas eu depois digo no Pronúncia do Norte), jogar à bola, etc. Mais tarde, nessa mesma praia, viria a conhecer também a Sylvie Vartan e o Johnny Halliday, mas contarei tudo isso num post.
A segunda mais votada foi a nº 5 , porque quem apostou nessa hipótese achou a multa demasiado elevada. Eu na altura também achei ( cerca de 250 escudos) , mas foi isso que o meu pai me disse, quando ameaçou fazer-me pagar com corte na semanada. Felizmente não cumpriu a ameaça e um dia surpreendi-o a contar animadamente a cena à volta de uma mesa de canasta. Finalmente duas respostas ( 2 e 3) com o mesmo número de votos, sendo que numa delas estava a mentirinha.Em relação ao meu passeio pelo rio Sepik, de canoa, é tudo verdadinha. Não disse que dormi numa tribo de canibais ( o que escrevi é que as havia – e ainda há- nas margens do rio Sepik).
Pronto, agora já sabem que a mentira estava na resposta 3. Ruth Escobar é realmente minha tia, mas nunca me fez uma audição, por duas razões: embora adore teatro, era de tal maneira tímido, que só imaginar-me em cima de um palco me provocava pânico. Por outro lado, só vim a conhecer a minha tia quando já era adulto. A minha experiência de teatro resumiu-se, praticamente, a fazer guiões para “sketches” de teatro de rua.
Resumindo: Embora a Fátima, a Gi e a Mariam ( por esta ordem) tenham acertado na questão onde estava a mentirinha, a verdade é que nenhuma colocou a hipótese de nunca ter havido audição. Logo, não há vencedores ( sniff, sniff, sniff!).
Prometo que o próximo passatempo ( que talvez ocorra próximo do Dia de S. Valentim) será mais fácil e objectivo. De qualquer modo, como não quero que se sintam defraudados, vou revelar a sétima “cusquice”, num post a publicar ainda hoje.
E ainda.... decidi atribuir o prémio à Fátima porque foi a primeira a acertar na pergunta onde estava a mentirinha. E também por outra razão... é que tenho quase a certeza que, no caso de ter havido audição, essa seria ( aproximadamente) a resposta da minha tia.

Terminou o Passatempo!

Os comentários já estão publicados, terminou o passatempo. Várias pesssoas aproveitaram bem a ajudinha que dei, seguiram um raciocínio e apostaram na Françoise Hardy.
Mas bastará para que essa - que foi aque obteve mais votos, salvo erro- seja a resposta certa?
E será que depois de lerem os comentários, todos manteriam a mesma "aposta" , ou escolheriam outra? É que há outros raciocínios bem feitos que podem conduzir a uma resposta diferente...
Hoje, até ao princípio da tarde, darei a resposta e anunciarei o(s) vencedor(es), se os houver...
Não me levem a mal por criar este suspense, mas estou a treinar para um casting que vou fazer amanhã à TVI. Vão escolher o apresentador para um programa de terror durante a madrugada e eu, impulsionado pelo exemplo da Maya, decidi candidatar-me e estou a treinar...

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Coisas do Sebastião (19)

Ideias feitas...

Acha que oferecer uma televisão ao seu filho, para ele ter no quarto, é a opção certa, pois assim a criança pode escolher à vontade o que quer ver? Se pensa assim, fique a saber que está completamente enganado.
Com efeito, um estudo sobre o impacto da televisão nas crianças, concluiu que as crianças que têm televisão no quarto e vêem televisão sozinhas são mais susceptíveis de vir a revelar comportamentos anti-sociais, do que aqueles que o fazem em família. O responsável pela investigação salienta que nos países mais desenvolvidos, em que grande maioria das crianças tem televisão no quarto e escolhe de forma mais ou menos livre os programas que quer ver, há mais hipóteses de se desenvolverem distúrbios comportamentais.
Já agora, fique também a saber que se considera que a opção de fumar deve ser tomada livremente pelo seu filho e que não adianta nada dizer-lhe que não deve fumar, lamentamos informá-lo que mais uma vez se equivocou. Pelo menos é o que afirma um pediatra da Faculdade de Medicina de Darmouth (Estados Unidos), após um estudo de investigação que envolveu algumas centenas de jovens.De entre os 372 entrevistados, 284 afirmaram ter pais que desaprovavam o consumo de tabaco, sendo de 19% a percentagem dos que se tornaram fumadores, enquanto dos 41 que disseram ter pais mais permissivos quanto ao assunto, 27% tornaram-se fumadores. De acordo com o investigador, James Sargent, os resultados são semelhantes em relação ao consumo de drogas e de álcool.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Pronúncia do Norte (5)

Enquanto esperam pelos resultados do passatempo, convido-vos a tomar um pingo. Ou, se preferirem, um garoto! Pronto, se estiverem com fome também podem trincar o croissant...

PINGO = = GAROTO
Pela primeira vez admito que prefiro o vocábulo sulista. São várias as razões. Por um lado, misturar leite no café é mesmo uma garotice. Por outro, é engraçado ouvir uma senhora a entrar na Versailles e pedir um garoto. Se fosse empregado da Versailles, dizia logo: minha senhora aqui garotos já não há, agora só seniores acima dos 40. Se deseja um garoto, é melhor ir a outro lado.
Aviso: Por favor não me venham falar do ABATANADO na caixa de comentários. Como diriam os Contemporâneos, é uma palavra tão ..."panisga"

Aviso à navegação!

Não estou a publicar os comentários ao desafio/ passatempo, para evitar que os participantes se deixem influenciar pelos raciocínios tecidos em alguns deles. Publicá-los-ei , por isso, apenas depois de expirar o prazo. Continuem a participar, porque a coisa está animada...

domingo, 25 de janeiro de 2009

Desafio/ Passatempo ( com PRÉMIO!)



A Blue Velvet desafiou-me a responder a este desafio

As regras são: Linkar a pessoa que te indicou. Yes!
Escrever as regras do meme no meu blog. Yes!
Contar 6 coisas aleatórias sobre mim. Yes!
Indicar mais 6 pessoas e colocar os links no final do post. Not Yet
Informar as pessoas que as indiquei, deixando um comentário para elas. Not yet


Então cá vão as 6 coisas sobre mim, para quem aprecie cusquices:
1- Adoro pubs. Daqueles pequeninos e de estilo inglês. Gosto tanto, que durante PREC, comprei um ( em sociedade) , para ter uma sala de estar onde receber os meus amigos. Na época era bastante frequentado e guardo peciosas recordações de histórias inolvidáveis lá passadas.


2- Percorri parte do rio Sepik ( Papua Nova Guiné) numa canoa e pernoitava em tribos locais. Algumas eram de canibais mas, como a minha presença neste Rochedo demonstra, nunca servi de petisco aos autóctenes. Não foi sorte nem perícia minha, mas sim do guia local que me acompanhava na aventura.


3- Numa época da minha vida, tinha a mania que tinha jeito para o teatro. Pedi à minha tia Ruth Escobar ( sim, essa mesma que um dia, no Senado brasileiro, respondeu a um insulto machista do ditador Figueiredo com um remake, chamando- lhe "cavalo castrado") para participar numa peça dela. Fez-me uma audição e mandou-me tirar a ideia da cabeça.


4- Em miúdo passava férias numa praia espanhola, para onde também ia a Françoise Hardy( os mais novos, que não sabem quem é FH, façam o favor de perguntar aos paizinhos, está bem? De certeza que eles sabem). Fartei-me de brincar com ela a fazer aquelas macacadas que os miúdos fazem na praia.


5- Aos 14 anos fui preso ( detido, digamos, mas para mim, na altura, ir à esquadra era ser preso) nessa mesma praia, porque estava no areal a dar um beijo numa menina alemã, de 16, às 8 da tarde! Os meus pais – e os dela- foram-nos buscar à esquadra, mas tiveram de pagar uma multa de 500 pesetas, porque os filhos estavam a ofender a moral pública. Foi então que percebi que, para fugir da ditadura, não bastava atravessar a fronteira. Tinha de dar mesmo “o salto”.


6- Muitos sabem que entrei para a tropa na véspera do 25 de Abril, mas creio que ninguém sabe que participei nas campanhas de Dinamização Cultural da 5ª Divisão do MFA. Foi uma das boas experiências de vida que tive em Portugal, pois permitiu-me conhecer melhor o país. Mais de 30 anos depois, continuo a gostar de viajar pelo país e de contactar com as pessoas, pois é uma forma de me enriquecer a vários níveis.


Pronto, a partir daqui vou perverter um bocado as regras, com o pedido de desculpas à Bluevelvet.
Não vou indicar ( para já…)o nome de ninguém para vir ao confessionário. Considerem-se todos convidados.
Posto isto lanço-vos outro desafio. Todas estas confissões são verdadeiras mas há uma – apenas uma- que só é parcialmente verdade. O desafio que vos lanço é o seguinte:
Qual delas é que não corresponde totalmente à verdade e porquê? Sim, têm de justificar a vossa escolha, porque este passatempo não é um totoloto com números de 1 a 6!

Até às 24 horas do dia 27 ( terça-feira) aceito as vossas sugestões. Aqueles que acertarem terão, como prémio, receber ( via e-mail) uma sétima confissão e uma surpresa!Adianto que é uma revelação relacionada com a minha vida pessoal e profissional, que nenhuma revista cor de rosa até hoje descobriu. Ah, mas ficam já a saber que, se um destes dias, uma revista revelar, vou descobrir quem passou a informação ( risos). É que, tenho a certeza, não haverá mais de 2 ou 3 pessoas a acertar.

REGRA DE OURO: Só vale dar um palpite. As respostas que indicarem mais do que uma hipótese, serão consideradas nulas ou inexistentes. Nenhum participante poderá fazer mais do que uma tentativa.Para tornar a participação neste desafio mais apetecível, o primeiro a acertar será contemplado com um destes livros ( à escolha do vencedor).
A Fogueira das Vaidades – Tom Wolfe
Jogos Perversos – Ruth Rendell
Eu sei que nenhum deles é uma novidade, mas por agora é o que se pode arranjar. A partir do próxmo mês talvez haja melhores prémios e novos passatempos.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Na hora da sesta

Ontem, a propósito deste post do Sebastião, falou-se muito na caixa de comentários sobre a sesta.Lembrei-me, por isso, de vos falar da Associação Portuguesa dos Amigos da Sesta (APAS) que há anos vem enaltecendo as virtudes da sesta, por alguns considerada sinónimo de preguiça. Mentira! A sesta é, para muitos, uma necessidade que permite aliviar o “stress”, equilibrar os ritmos biológicos e ser mais produtivo.
Com sede em Ansião, a APAS tem alguns sócios ilustres como o Dr. Mário Soares, cuja bonomia é um atestado de clarividência sobre as virtudes da sesta.
Em 2002 publiquei, numa revista de que era então editor, uma entrevista com o presidente desta associação, que acabara de lançar um abaixo assinado a favor da sesta, cujo culminar foi a apresentação de uma petição na AR.
Como acontece com a maioria das petições apresentadas na AR, deve andar esquecida pela gaveta de algum deputado. Compreende-se: alguns já têm direito à sesta no hemiciclo, porque razão se hão-de preocupar em debater este assunto?
A institucionalização do “direito à sesta” seria, em minha opinião, uma forma de elevar a auto-estima dos portugueses e lhes restituir o bom humor. Basta olhar para os nossos vizinhos espanhóis, ver a alegria com que vivem o dia a dia, apesar de estarem mergulhados numa enorme crise, para perceber que a sesta poderia ser um incentivo, neste período de crise que atravessamos.Essa seria, em minha opinião, uma inovação tecnológica barata e bem acolhida por muitos portugueses.
Que pensam vocês sobre este assunto? Vamos apoiar a APAS e exigir que a AR discuta as vantagens da sesta no aumento da produtividade dos portugueses? Ou, então, talvez seja melhor ideia sugerir isto.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Quanto tempo tem?

“Se tu foges o tempo
Logo traz ansiedade(...)"
(Daniela Mercury– Nobre Vagabundo)

Já perceberam que este post deve ser lido ao som de “Nobre Vagabundo” da Daniela Mercury não é verdade?
Então agora vamos ao que interessa. E o que me interessa, hoje, é falar do tempo. Ou melhor… da falta dele.
Andamos todos obcecados com a falta de tempo. Ninguém tem tempo para nada. Deixámo-nos enredar numa teia de rotinas e vemos o tempo passar por nós sem nos apercebermos. O trabalho ocupa de tal maneira o nosso tempo, que perdemos a possibilidade de fruir as coisas boas da vida. Deixamos que a vida passe por nós sem lhe darmos o devido valor.
Em miúdo, quando manifestava o desejo de atingir rapidamente os 18 anos, o meu avô costumava contar-me a história de um menino que um dia encontrou uma Fada que lhe deu a oportunidade de pedir 3 desejos.
O menino começou por pedir para se ver aos 18 anos, com uma namorada muito bonita ao seu lado . A Fada satisfez-lhe o desejo.
O menino fez então segundo pedido. Queria ser adulto, estar casado, ter filhos, um bom emprego, uma boa casa e muitos carros na garagem.
A Fada satisfez-lhe o pedido... mas na altura o menino já tinha chegado quase aos 50 anos, em escassos segundos.
Foi então que pediu o terceiro desejo:
“Fada, quero voltar a ser criança!”
A Fada olhou-o com ar compungido e respondeu:
“Esse desejo não te posso satisfazer. Tenho todos os poderes, menos um… o de fazer recuar o tempo”.
O menino olhou-a com ar triste e perguntou:
"E agora quanto tempo tenho para viver?"
Aquele que souberes aproveitar. Não sejas ansioso com o dia de amanhã e vive cada dia na sua plenitude”.
Quando o meu avô me contava esta história, não achava muita piada, mas à medida que fui crescendo, comecei a compreendê-la melhor. Quando fui viver para Macau, trabalhei e convivi muito com chineses. Com eles adquiri uma nova noção de tempo e estabeleci nova escala de prioridades na minha vida. Tornei-me mais calmo e aprendi a saborear o tempo.
Nas últimas semanas, comecei a notar que me escasseava o tempo. Ainda não fui ao cinema este ano, apenas li um livro e até deixei de ter tempo para responder aos vossos comentários com a assiduidade habitual. Pus o trabalho como prioridade, mas não quero que volte a ser esse o lema da minha vida. A calma voltará dentro de momentos.
Como a Daniela Mercury, apetece-me cantar:
“ Tenho a vida doida
Encabeço o mundo,
(.....)
Sou perecível ao tempo,
Vivo por um segundo,
Perdoa meu amor
Este nobre vagabundo(…)”

Coisas do Sebastião (18)

O mundo científico norte-americano anda em pé de guerra por causa do sono.
Enquanto investigadores da Universidade de Chicago afirmam que dormir pouco provoca obesidade, stress, perda de memória e envelhecimento precoce, e aconselham a dormir regularmente oito horas, evitando as habituais recuperações de fim de semana, dormindo até tarde, os seus colegas da Universidade de San Diego garantem que deitar tarde e cedo erguer é o melhor remédio para garantir a longevidade.
Depois do estudo que realizaram em mais de um milhão de americanos, afirmam ter chegado à conclusão que quem dorme entre cinco e sete horas vive mais tempo do que os que gostam de cumprir o ritual das oito horas diárias.
Como as conclusões parecem ser contraditórias, o melhor mesmo é não dar muita importância ao assunto e continuar a dormir tranquilamente. De preferência, fazendo como os nossos vizinhos espanhóis que não dispensam a tradicional “siesta”.



quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Amizade é....


Encontrarem-se 30 anos depois do último beijo, surpreenderem-se por momentos, e ficarem duas horas à conversa, como se tivessem deixado a conversa em suspenso na véspera...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Há festa cá no Bairro!


No dia 8 de Março do ano passado, escrevi um post (“Sugestões para mulheres muito especiais” ) em que convidava as pessoas a irem à Biblioteca Operária Oeirense, para um debate sobre a situação das mulheres no Darfur.
Nessa altura os comentários no Rochedo eram escassos e os visitantes diários raras vezes ultrapassavam a meia centena. Naquele post, só houve uma pessoa a comentar. Pelo teor do comentário, concluí que se tratava efectivamente de uma mulher muito especial. Sabia perfeitamente o que se passa(va) por lá.
Fui ver a proveniência ( depois dela me ter informado como chegar ao seu blog, porque na altura ainda era mais nabo do que agora…) e encontrei um post sobre o Dia Internacional da Mulher que me deixou deveras impressionado (link http://aresdaminhagraca.blogspot.com/2008/03/tenho-arrumada-questo.html)

Dele retive vária frases, que aqui não reproduzo, porque aconselho vivamente, a todos que não leram o post, que o façam hoje. Depois, quase sem interrupções, fui ler os posts anteriores. Fiquei de imediato cativado e elegi esse blog como um dos 7 melhores criados em 2008.
Creio que a empatia foi mútua, porque desde esse dia passámos a visitar-nos diariamente. Eu já escrevi aqui muitas coisas sobre esse blog e sobre a sua administradora e pouco mais tenho a acrescentar. Queria apenas dizer, no dia em que o Ares da Minha Graça celebra o seu 1º aniversário, que a Patti é das pessoas que melhor interpreta o espírito de partilha da blogosfera. Percebi-o no dia em que ela criou a expressão blogobairro, para explicar à Beatriz como funcionava aquilo a que até aí todos chamavam bologosfera.
A expressão ganhou raízes e, tal como ela previra, o blogobairro alargou-se e atinge hoje uma dimensão apreciável. Há quem goste mais de condomínios fechados, mas eu prefiro este bairro onde a vizinhança não se olha de soslaio. Onde não há videovigilância, alarmes e seguranças fardados a perfeito. Aqui as pessoas têm sempre a porta aberta e olham-se, olhos nos olhos, com frontalidade e sem subterfúgios. Com lealdade.
Muito deste espírito aqui criado deve-se à Patti. À sua forma de estar, à riqueza dos seus posts , à frontalidade com que encara as questões, ao estilo cativante da sua escrita. Gostava muito de estar presente na festa que, tenho a certeza, irá ser de arromba, porque ela tem amigos em todo o país e ninguém vai querer faltar. Infelizmente, não poderei estar presente, mas daqui ergo a minha taça num tchim tchim, no dia do seu aniversário.
Obrigado, Patti!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Dinner Break

Estou com amigos num pub do Porto. Está a abarrotar, com gente a ver (em diferido) a tomada de posse de Obama. O discurso foi empolgante, apesar de muitos lugares comuns. Uma multidão de 2 milhões de pessoas veio manifestar a sua esperança no futuro, arrostando com o frio. E nem faltou o episódio melodramático: a maldição dos Kennedy manfestou-se através de Ted.
Hoje, goste-se ou não dos Estados Unidos, há um renascer da esperança. Estou com pele de galinha e gosto desta sensação. Do lado negativo de tudo isto, falarei nos próximos dias. Por agora, deixem-me gozar este momento. Com o verde da esperança de Mrs Obama, vestida por uma estilista cubana. Será um sinal de mudança?

Good Luck!

A partir de hoje, esta família irá habitar a Casa Branca. É um novo capítulo que se abre na História Contemporânea. Good Luck!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Pronúncia do Norte (4)

ESTRUGIDO=
= REFOGADO

Ora confessem lá, se um bife à portuguesa não sabe muito melhor feito com um estrugido à base de alho, do que com um refogado. E então se for arroz, nem se fala!

domingo, 18 de janeiro de 2009

Abençoadas fogaças!

Sempre que venho ao Porto, não falta fogaça ao meu pequeno almoço. Fresquinha, barrada com manteiga e acompanhada de chá preto, a fogaça é um pitéu que me anima as manhãs nortenhas. Quando regresso a Lisboa levo sempre uma ou duas fogaças da "Primazia" porque, depois de perder a frescura, continua a ser deliciosa. Cortada em fatias generosas, torradas, é um acompanhamento perfeito para o “mate” num final de tarde invernoso.
Desta vez, vou levar fogaça da origem, pois um dos motivos que cá me traz é uma ida a Santa Maria da Feira onde se está a celebrar, desde sábado, a “Festa das Fogaceiras”. Esta festa centenária ( iniciou-se em 1505) é uma homenagem a S. Sebastião- terá livrado o povo desta zona da peste -e atinge o seu ponto alto no dia 20 de Janeiro, com uma procissão (onde meninas trajadas de branco desfilam com fogaças à cabeça) e bênção de fogaças.
Ora fogaça abençoada vai ser, para mim, estreia absoluta. Espero que esta boca pecaminosa não as conspurque!
Mesmo que isso aconteça, espero ser perdoado, pois creio ser a primeira vez que a tradição da “Festa das Fogaceiras” vai atravessar o Atlântico e chegar à América Latina como cartaz turístico.
Agora vou ali buscar um guardanapo, porque está a escorrer-me manteiga das beiçolas. Hmmm!






sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Rochedo das Memórias (88)- As feridas da Guerra(1919)

Os alemães assinam o Tratado de Versailles, pondo oficialmente termo à I Guerra Mundial. Nasce a Sociedade das Nações, mas os Estados Unidos ficam de fora, porque se recusaram a assinar o Tratado. Começa a perceber-se que os Estados Unidos não vão fazer a vida fácil ao mundo durante o século XX, mas não nos adiantemos…
Na Europa, desmoronamento dos estados austro-húngaro e do Império Otomano deu lugar a uma série de pequenos Estados, com fronteiras ainda mal definidas.
É também neste ano que o Sinn Fein proclama a República Independente da Irlanda. Vai haver muita bordoada na ilha, mas não só…porque em Itália Mussolini funda a Liga Fascista, carimbando o prenúncio de tempos de barbárie.
O Exército Vermelho sai vitorioso, a Rússia invade a Ucrânia e Lenine acredita – depois da vitória da Revolução em 1917- que o exemplo pode alastrar a todo o mundo alcançando o triunfo do Movimento Operário. Nesse sentido convocou para Moscovo o Congresso da Internacional Comunista, base de sustentação para a vitória. Desiludido com o fracasso, acusará os partidos socialistas e sociais democratas de terem traído a revolução.
De outras traições foi vítima, este ano, Rosa Luxemburgo. O cadáver da “socialista exemplar” do início do século é encontrado num canal de Berlim. Mas não morreu afogada… fora antes fuzilada pelas tropas alemãs.
Poucos meses antes ( Janeiro) abortara a tentativa de instaurar a democracia na Alemanha. Apesar de os alemães terem votado massivamente pela democracia, a Assembleia Constituinte resultante das eleições não conseguiu reunir em Berlim… por oposição do Presidente americano Wilson que, pouco antes, invadira a Costa Rica!


Tudo isto tem uma explicação simples… Quando estava prestes a perder a guerra, a direita alemã, no poder, “entregou” o governo a socialistas e sociais democratas, mas a assinatura do Tratado de Versailles, que a direita criticou, impôs medidas draconianas à Alemanha. O desentendimento entre socialistas e sociais democratas levou ao fracasso e a uma crise sem precedentes, de que a direita se aproveitaria. Alheios ao fracasso da democracia alemã, não foram também os movimentos separatistas da Baviera e da Renânia, que aproveitavam a crise alemã para relembrar os tempos do império perdido e abrir caminho a Hitler.
O ano fica, no entanto, marcado por um surto de greves em toda a Europa. O movimento sindical cresce, ganha força e alcança algumas conquistas para os trabalhadores, como a jornada de trabalho de 8 horas ( Cerca de um século mais tarde, Sarkozy imporá em França a semana de 65 horas, sendo seguido por outros países europeus…Alguém por aí falou de progresso social?).
Os sindicatos conhecem outras vitórias importantíssimas, durante os anos 20, como o direito de voto universal, o direito de reunião e a criação obrigatória do fundo de desemprego, mas a sua força não se prolongará durante muito tempo. A grave crise económica lança milhares de trabalhadores para o desemprego e os salários reais descem assustadoramente. À guisa de exemplo, refira-se que na Alemanha os salários representavam, em 1919, apenas 70 por cento do valor dos salários em 1913. A direita europeia estava nas suas sete quintas.

Mas nem tudo eram más notícias. Volta a ser possível viajar no o Expresso do Oriente, de Paris a Istambul e o arquitecto Walter Gropius funda a Bauhaus que irá marcar e influenciar a as artes europeias durante décadas.
Data deste ano, também, a criação da United Artists, por iniciativa de alguns dos maiores nomes da 7ª Arte, onde despontam Charles Chaplin e Mary Pickford.

Erik Sati compõe Sócrates, um drama sinfónico que haveria de chegar a Portugal, em versão estereofónica. E continuava, claro, a loucura das velocidades, porque ainda não se tinham esgotado os ecos do Manifesto Futurista. Entre os records estabelecidos neste ano, destaque para o de Erma Murray, nos 100 m bruços, com 1m 33s e 2 décimos.



Em Portugal os governos sucedem-se a um ritmo alucinante e o ano ficará assinalado por diversos movimentos revolucionários. O mais importante terá sido a derrota da monarquia do Norte. Nos anos 80, porém, vai surgir um novo rei no Norte, que abrasará o país. Chama-se Pinto da Costa e conseguirá inúmeras vitórias para os azuis e brancos, destronando os Vermelhos que se tinham sentado na cadeira do poder, com o beneplácito do Estado Novo.
Ainda durante este ano foram construídos os bairros sociais do Arco do Cego ( Lisboa) e Sidónio Pais ( Porto).



Cenas de Táxis (6)


Passava pouco da uma da manhã quando apanhei o táxi. O taxista reconheceu-me, porque em muitas noites de quinta-feira me tem conduzido naquele percurso entre a Lapa e o Lumiar. Mal entrei, perguntou-me logo: “para o sítio do costume?”
Ainda me estava a acomodar no banco de trás, já ele dizia: “Aquilo é que foi um desastre!”.
Qual desastre?
Não me diga que ainda não sabe do avião.
Qual avião?
O que caiu em Nova Iorque
Não, não sabia… quando foi isso?
Olhe, foi quando ia jantar… ouvi aqui na rádio.
Morreu muita gente?
Morreram todos afogados no mar. Eram 146
No mar?
Foi o que eles aqui disseram, senhor. Só se os seus colegas se enganaram.
Não me apeteceu dar-lhe explicações. Limitei-me a manifestar a minha consternação e a dizer que em desastres aéreos, normalmente não há sobreviventes.
Quando cheguei a casa, fiquei a saber que, felizmente ninguém morrera. E percebi, também, por que razão , muitas vezes, os jornalistas são considerados mentirosos.
Na próxima vez que me trouxer a casa, vai ter de me ouvir!...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Pronúncia do Norte (3)

CARAPINS= = BOTINHAS
Explique-me quem souber. Como é possível chamar Botinhas ( como classificarão os "Contemporâneos" esta palavra tão...) a uma coisa que se vê logo que são carapins?

Mensagem a S. Pedro!

Basta anunciar que vou ao Porto durante uns dias, para o S. Pedro se pôr a despejar água a rodos para me desmotivar. Ouve lá! Desta vez vou em trabalho ( muito trabalho) e não dá para desistir, por isso, vê lá se fechas a torneira durante uma semana, está bem?
Obrigado...

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Momento de Humor

Hoje, o Momento de Humor mudou-se para aqui.

Assédio(s)


Ele ainda não tinha 30 anos quando entrou para a empresa. Trabalhava a recibo verde, como a maioria dos jovens da geração global. Ao fim de seis meses, o seu chefe reformou-se e foi substituído por uma senhora. Já tinha ultrapassado há muito os 40, mas mantinha-se vistosa, provocando torcicolos aos homens com quem se cruzava nos corredores.
Ele, com casamento aprazado para o final daquele ano, também não resistia a um olhar furtivo, que a sua condição de subordinado impunha. Quando ela o chamava ao gabinete para discutir qualquer assunto de trabalho, a sua pele clara não conseguia disfarçar o rubor da face, animada pela visão daquele corpo bem torneado, aprisionado num vestido justo que deixava a descoberto uma belíssimo par de pernas.
Numa solarenga manhã de Março ela chamou-o ao gabinete. A discussão em torno de uma questão contabilística foi-se arrastando até ao princípio da tarde. Ela olhou para o relógio e propôs que continuassem a discussão ao almoço num restaurante próximo. Embaraçado, disse que combinara almoçar com a namorada, mas se fosse necessário desmarcava o almoço. Ela concordou que seria a melhor solução.
Durante o almoço não falaram de trabalho. Ela inundou-o de perguntas sobre a sua relação com a namorada, advertiu-o para o facto de ainda ser muito jovem para se comprometer e lembrou-lhe que, trabalhando a recibo verde, não tinha uma situação estável. Talvez devesse pensar melhor, sugeriu.
Não consigo esperar mais”- respondeu ele. “Namoramos há tempo demais, precisamos de nos casar e fazer a nossa vida. Queremos ter filhos…”
“Má ideia”- respondeu ela com um sorriso enigmático. “Vivam primeiro um tempo juntos e quando você tiver uma vida mais estável pensem nisso”.
“Isso está fora de hipótese. A família dela nunca lhe perdoaria se ela saísse de casa para ir viver comigo.”
A conversa ficou por ali. Ela pagou o almoço com o cartão da empresa e regressaram ao trabalho para terminar a discussão interrompida ao final da manhã.
No dia seguinte ele pressentiu-a mal humorada e algo distante mas, dois dias depois, tudo voltara à normalidade. Na semana seguinte recusou polidamente o convite para almoçar, alegando ter de levar o pai a uma consulta. Nos dois meses que se seguiram teve que recorrer à imaginação para se furtar a novos convites. Entretanto, conseguiu apurar que ela era casada e tinha dois filhos, um dos quais da sua idade. A notícia deixou-o mais descansado. As investidas teriam tendência a diminuir.
Na véspera de partir para uma semana de férias estava em casa a ultimar os preparativos, quando o telefone tocou. Era ela. Estava ainda a trabalhar na empresa e tinham-lhe surgido umas dúvidas sobre uns papéis. Reclamava a sua presença. Contrariado, ele foi. Ela recebeu-o com um copo de whisky na mão e ele percebeu, na sua voz arrastada, sinais de embriaguez. “Então que se passa, doutora?”
Sem dizer uma palavra, ela pousou o copo em cima da secretária, lançou-lhe os braços em volta do pescoço e beijou-o de forma arrebatada. Ele não ofereceu resistência. Sentia-se inebriado pelo perfume que exalava do corpo dela. Começou a despi-la. Primeiro lentamente, mas à medida que o vestido lhe descobria o corpo ,deixando entrever um seio nu, acelerou a tarefa ao ritmo do batimento cardíaco.
Olhou para ela, completamente nua, deitada no sofá do gabinete onde costumavam trabalhar, e pensou por um momento como tinha sido parvo em resistir-lhe. Afinal ela era casada, nunca lhe iria causar problemas. Quando finalmente a tomou nos braços e começou a beijar-lhe o bico dos seios, não reparou que ela mordia os lábios de onde se escapava um breve sorriso de vitória. Eram três da manhã quando ela o convenceu a ir para casa. Despediram-se num beijo prolongado. Ele saiu primeiro. Meteu-se no carro e acelerou em direcção a casa.
Custou-lhe a adormecer. Aquele corpo magnífico não lhe saía da cabeça. No dia seguinte, no aeroporto, lê na manchete de um jornal : “Aumenta o número de mulheres vítimas de assédio sexual.” Sorriu e dirigiu-se para o balcaõ do "check-in"
Adenda: Esta história não acaba aqui, mas terão de esperar uns dias pela continuação.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Pronúncia do Norte (2)

BUEIRO=
= SARJETA

Rochedo das Memórias (87)- Sob o signo do 9

Este é o primeiro ano do século terminado em 9.
Dizem os chineses que o 9 é símbolo de sorte, poder e riqueza. Stanley Ho – o magnata do jogo- gasta anualmente milhares de euros em Macau, para comprar as matrículas 99-99 para os seus carros, pois teme , se o não fizer, perder a preponderância que apesar de tudo ainda hoje tem no jogo daquele território.
No século XX, os anos terminados em 9 protagonizaram alguns dos acontecimentos mais marcantes do século, como o início da Segunda Guerra Mundial ( 1939) ou da Grande Depressão (1929). Como irá ser neste século?
Comecemos pelo ano de 1909 que, apesar de não ter sido um grande ano, proporcionou alguns acontecimentos dignos de registo.Assinale-se, para começar, que em Portugal o 25 de Abril desse ano fica marcado pela queda do governo. O motivo pode parecer-nos prosaico à luz dos dias de hoje mas, em 1909, era possível um deputado (Caeiro da Matta) acusar um ministro (Espergueira) de de burlão, por causa de um empréstimo feito aos Caminhos de Ferro do Estado e o assunto ser resolvido em duelo. O governo acaba por cair...
Um século mais tarde, o ministro Mário Lino irá reiterar a intenção do governo em avançar com o TGV, perante as críticas de Manuela Ferreira Leite, mas não é crível que o assunto se venha a resolver através de duelo. A única ilacção que se pode tirar é que, um século depois daquele episódio, os portugueses continuam a ver passar os comboios.

D. Miguel renunciara à Coroa um mês antes e, em Benavente, no dia 23 de Abril, um terramoto provocara meia centena de mortos.
O mês de Abril fica ainda marcado pela realização, em Setúbal, do Congresso Republicano, de onde sairá um Directório composto por nomes ilustres como Teófilo Braga, José Relvas, Bernardino Machado, João Chagas e Afonso Costa. A queda da monarquia estava próxima e D. Manuel II é avisado por José Luciano, porque naquele tempo as revoluções ainda estavam sujeitas a aviso prévio.
O ano é marcado pelo lançamento, em Milão, do Manifesto Futurista de Marinetti. Apesar de ainda não haver desportos radicais, Marinetti invoca o amor pelo perigo e glorifica a guerra como higienizadora do mundo. As ideias de Marinetti chegarão a Portugal, anos mais tarde. Em 1917, Almada Negreiros e Santa - Rita Pintor lançarão, no teatro República, o Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do século XX e, nesse mesmo ano, sairá a público a revista Portugal Futurista, onde emerge o nome de António Ferro.
O Manifesto fazia a apologia da velocidade e, embora ainda não houvesse Rali Dakar, nem circuitos de Fórmula 1, no Mónaco um barco a motor bate um record de velocidade, atingindo 66,42 kms/hora.
A revolução das ideias não se quedou pelo Manifesto. René de la Tour publica "Aphorismes de Politique Social", que serve de base ao corporativismo. A família, a oficina e as corporações são invocadas como a base de uma sociedade dependente de uma Lei de Deus. Como desgraçadamente sabemos, Salazar será um apreciador do modelo que ficará vertido na Constituição de 1933 e servirá de sustento ao Estado Novo.
Um século depois, o mundo aspira por novas ideias que ajudem à saída da crise social e de valores, mas não parece que 2009 venha a ficar marcado por uma teoria relevante.



Como já referi, o Manifesto Futurista glorificava o perigo e, talvez movido por esses ideais, Robert E. Peary torna-se no primeiro homem a chegar ao pólo Norte, enquanto Louis Biérot é o primeiro a sobrevoar o canal da Mancha.
Passemos agora a acontecimentos mais prosaicos. Na Áustria, é inventado o isqueiro a gasolina com pedra. Uma invenção imprestável, como se pode reconhecer hoje, face às fundamentalistas leis anti-tabágicas.Mais útil foi a invenção da torradeira eléctrica, pois até que a União Europeia se lembre de decretar que as torradas fazem mal à saúde, ainda nos podemos deliciar com umas belas fatias de pão com manteiga, aquecidas e coradas naquele aparelho.
Nova Iorque assiste à estreia do primeiro filme a cores e em Dresda estreia a Ópera Elektra de Richard Strauss. Um século depois ( 15 a 19 de Janeiro), poderá ser vista, em versão de concerto, na Gulbenkian. Eu não vou perder. E você?
Adenda: Para mais informações sobre o século XX, consulte a etiqueta Rochedo das Memórias ( com link na coluna da direita).

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Última hora!

A Ministra da Educação pondera processar S. Pedro, por ter impedido seis mil crianças de irem hoje às aulas.

Pronúncia do Norte (1)

ALOQUETE= = CADEADO

Coisas do Sebastião (17)

Dois meses depois de o governo francês ter autorizado as plantas e animais transgénicos, realizou-se em Paris um ciclo de conferências, apoiadas pelo Ministério da Educação de Sarkozy, subordinado ao tema: “ L’homme transgénique: des possibilites infinies”.
Na primeira conferência o professor Jean Claude Weil defendia que não nos podemos contentar com o nosso genoma, porque está “sub-equipado”.Eu, na minha condição de mocho, sinto-me bastante bem como estou e não gostaria que o homem começasse a fazer experiências com a minha espécie, mas assusto-me quando ouço os cientistas dizer que o homem transgénico representa um passo civilizacional da maior importância.E vocês o que é que pensam? Gostavam de fazer a experiência?

sábado, 10 de janeiro de 2009

Na onda

Aproveitando a onda de subsídios , para incentivar a economia e combater o desemprego, um grupo de prostitutas pediu ao Estado subsídio para manutenção dos seus postos de trabalho.
Dias mais tarde, receberam a seguinte resposta:
“ Não vemos razão para apoiar o vosso pedido, pois os portugueses já estão bem f….., não precisando, por isso de recorrer aos vossos serviços”.
As prostitutas ponderam a possibilidade de apresentar queixa na Alta Autoridade para a Concorrência, invocando abuso de posição dominante por parte do governo.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Um ET no país dos Kalimeros





Imaginem um extra terrestre que fala todas as línguas do Planta Terra, gosta de banda desenhada e contos infantis, lê jornais e vê televisão, mas é um nabo em Geografia. Agucem a imaginação e vejam-no a aterrar no deserto da margem Sul. Como é analfabeto em geografia, não sabe onde está, pelo que decide passar um dia a ler jornais e ver televisão, para se orientar.
Começa por ver uma senhora a pedir desculpa aos professores, argumentando que o sacrifícios que estão a passar são bons para o futuro, Sócrates a queixar-se de Manuel Alegre, lamentando que só tenha críticas a fazer ao PS e dizer que o Cabo das Tormentas vai chegar em 2009.
Na imprensa depara com uma senhora de ar vetusto, ostentando um lenço de seda cor de laranja que lamenta a falta de democracia no país e chora lágrimas de raiva incontida, porque os jornalistas não passam as suas mensagens como ela quer. ( Bem, pelo menos fica a saber que a senhora tem uma mensagem para o país…)
Volta à televisão e depara com um senhor cuja figura lhe faz lembrar um antigo director de “O Independente”, que está a morder o beicinho, porque não conseguiu voltar a ter um emprego com Jaguar às ordens. Muda de canal e vê um senhor de olhar triste, debruçado sobre os despojos da catástrofe provocada pelo Código do Trabalho e outro, com ar de seminarista que, com ar compungido, denuncia o amor do governo pelos bancos e pelo grande capital.Volta a fazer “zapping” e vê senhores de fino traje a lamentar a crise financeira que eles próprios desencadearam; patrões que se afirmam vítimas da política socialista do governo, enquanto se aproveitam dela; sindicatos carpindo mágoas pela insensibilidade do governo; trabalhadores manifestando o seu desconforto pelos magros salários; jovens a maldizer a sua desdita pela falta de emprego; pais dos jovens que amaldiçoam o preço das propinas, o aumento das taxas de juro e a falta de educação dos filhos; desempregados que fenecem com falta de trabalho; reformados que deitam contas à vida para ver se podem aviar a receita médica que lhes alivie a dor e prolongue os dias de sofrimento; turbas lamentando a carestia de vida e precipitando-se para os saldos do Corte Inglês, ou comprando pacotes de férias em Punta Cana, Cancún e Varadero; um grupo de benfiquistas lamentando a perda de mais um campeonato que a imprensa desportiva poucos dias antes, dava como ganho.


Um raio de luz ilumina, enfim, as antenas do extra-terrestre. Pega no seu i-phone e envia uma mensagem para Marte:
“Aterrei no país dos Kalimeros. Esta gente precisa de alguém que lhes dê um bocadinho de esperança”.
Recebe como resposta :
"Já providenciámos solução. Quando vires um senhor de fato Armani, com ar um bocado arrogante e um computador debaixo do braço que trata por Magalhães, podes contactá-lo. Pede-lhe os discursos optimistas que tem feito aos portugueses e faz os downloads. Pode ser que resulte com os Kalimeros”.
Tenho a impressão que amanhã quando começar a ler os jornais portugueses, me vou sentir como o ET, mas façam-me um favor: se me quiserem animar enviem-me antes a Pamela David ( seja qual for o traje, já está vestida a rigor nas fotos 1 e 2) ou a Natália Verbeke ( imagem de baixo, porque na outra está vestida de vermelho...). Se não for possível, contento-me com a Penélope Cruz, pronto…(s)



quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

De Buenos Aires a Lisboa


Avenida Corrientes ( Buenos Aires)
Quer na Argentina, quer em Portugal, questionam-me muitas vezes sobre as razões da minha paixão sul-americana. Poderia invocar dezenas delas, incluindo razões de sangue…mas basta-me uma: o prazer da vida.
Vive-se com mais prazer e menos lamechice na Argentina- e na América Latina em geral- mas não é só isso que marca a diferença. O verdadeiramente importante, é que em Buenos Aires, cidade com quase 15 milhões de habitantes, posso sair de La Recoleta às 3 da manhã e caminhar tranquilamente pelas ruas até à Plaza de Mayo ( mais de uma hora de caminho…) sem qualquer temor de ser assaltado.
Exceptuando o período do Corralito, já fiz dezenas de vezes o percurso, sempre com o mesmo prazer e a mesma segurança.
Quando saímos da capital e mergulhamos na Patagónia, essa sensação de segurança é redobrada. As casas estão de portas abertas dia e noite, os carros não são trancados, as empresas de alarmes não fazem grande negócio com particulares e é possível acampar com segurança em qualquer lado.
Em Lisboa, pelo contrário, já nem ponho a hipótese de ir a pé do Marquês de Pombal ao Rossio à uma da manhã.
São estas pequenas (grandes) coisas que fazem a diferença entre vida de qualidade ( o prazer de ter) e qualidade de vida ( o prazer de ser ou estar). Província de Chubut (Patagónia)




quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

De Eusébio a Cristiano Ronaldo



O tema da conversa começou por girar em torno de Maradona e da sua ida ao Dragão no próximo fim de semana, mas rapidamente se centrou na discussão sobre o melhor jogador do Mundo e, como não podia deixar de ser, falou-se de Eusébio e… Cristiano Ronaldo.
Enquanto o consenso em relação a Eusébio é universal, sendo a figura do ex-internacional português respeitada em todo o mundo, o caso muda de figura quando se fala de Cristiano Ronaldo.
Não é de estranhar que os argentinos prefiram Messi, mas não são os únicos. Eu também teria votado nele, porque o considero um jogador mais completo. No entanto, foi a intervenção de Enrique que acabou por me levar a escrever este post.
Pediu a todos que o escutassem e, com voz solene, sentenciou:
“Mais importante do que discutir se Messi é melhor do que Ronaldo, é fazer a comparação entre Ronaldo e Eusébio, porque isso reflecte o modo de estar e de pensar das suas gerações. Eusébio era respeitado em todo o mundo porque para além de ser um jogador fora de série, amava o seu país. Lembro-me como ele chorou quando Portugal perdeu com a Inglaterra. Tanto quanto creio saber, era uma pessoa humilde, viveu com dificuldades depois de deixar o futebol, porque nunca enriqueceu. Foram essas circunstâncias que, em minha opinião, fizeram com que se tornasse um ídolo que ainda hoje é recordado em todo o mundo com respeito. Já Ronaldo é um bom jogador, mas está longe de ter o mesmo talento. Joga bem no Manchester, mas nunca o vi fazer um grande jogo por Portugal. No tempo de Eusébio, não poderia nunca ser eleito melhor do mundo. A sua escolha foi feita por razões de marketing. Ronaldo é uma marca que vende, é muito apreciada pela juventude, mas não tem amor ao jogo. Logo que o Real Madrid o quis contratar, só pensou no dinheiro. Hoje é um ídolo mundial, mas vão ver que dentro de uns anos já ninguém se lembra dele, porque não passa de um produto apreciado enquanto vende, que depois será jogado fora e cairá no esquecimento. Eusébio, ao contrário, será recordado por muitos anos em todo o mundo pelo jogador e pessoa que era…”
Quase todos concordámos, mas não pude deixar de lembrar que Portugal teve outro jogador que foi considerado o melhor do mundo, ainda joga, e serve de ponte para este raciocínio de Enrique: chama-se Luís Figo e também é um senhor.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Os desencantos de Marcella

Tal como acontece em Portugal, muitos jovens chilenos outrora militantes da extrema-esquerda, converteram-se ao Partido Global ( leia-se: do pensamento único). Uma editora de uma revista chilena, ( que alguns dos leitores do CR já conhecem daqui )confessava-me há dias,com algum desassombro, mas também conformismo, que muitos dos que em 73 arriscaram a vida em manifestações contra Pinochet e o imperialismo americano, mostraram complacência e até compreensão pela invasão do Iraque.
Natural de Punta Arenas, na Patagónia Chilena, Marcella dizia-me no seu sotaque sulista:
“ Sabes, a maioria dos chilenos continua a ser inculta, iletrada e muito individualista. A sua grande ambição é serem ricos e a sua noção de liberdade limita-se à possibilidade de poderem usufruir dos mesmos produtos que os americanos têm. Os EEUU são o “El Dorado”, o Paraíso onde toda a gente vive bem e é feliz. A maioria dos chilenos desconhece que existe miséria na América, as revoltas populares em New Orleans depois do “Katrina” e os protestos que crescem diariamente exigindo maior segurança social e maior protecção na saúde. A maioria não lê jornais, ignora o que se passa no mundo e está a desligar-se cada vez mais da vida política. O importante é ter um bom “status” e que o Chile ganhe à Argentina ou ao Brasil no futebol. O resto passa-lhes quase sempre à margem.”
Quando Allende subiu ao Poder Marcella tinha apenas três anos , mas isso não a impediu de mais tarde se revoltar contra o “desaparecimento” de dois irmãos durante a ditadura. Nunca militou na extrema-esquerda e manifesta uma simpatia moderada por Michelle Bachelet, a primeira mulher a ser eleita presidente de um país sul americano.
“Sin embargo es una mujer” – atira sem pesatnejar.
Conheço-a há muitos anos e não duvido que o seu desencanto seja genuíno.
Mais uma vez ,o que me relata numa esplanada, me faz sentir mais próximo de Portugal . Afinal somos tão parecidos!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Delito de Opinião

Nasceu hoje um novo blogue. Chama-se Delito de Opinião e o meu amigo Pedro Correia convidou-me para fazer parte da equipa que o integra. É um novo desafio que vem inviabilizar o projecto que tinha de lançar um novo blogue a solo.
Não pensem, porém, que abandono este maravilhoso blogobairro, onde fui acolhido principescamente e me sinto muito feliz. Espero que continuem a ter pachorra para aturar os meus humores e me continuem a visitar diariamente para ler os meus posts. Para os apreciadores, informo que vai regressar o Rochedo das Memórias.
Esta semana voltarei às postagens diárias e retomarei as visitas a vossas casas, de onde tenho andado afastado por múltiplas razões. Por agora, convido-vos a visitar o Delito de Opinião ( onde acabei de me apresentar, e não me esqueci de todos vós) e faço votos que desfrutem deste novo espaço. Vai ser- acredito- mais uma paragem obrigatória nas vossas viagens diárias pela blogosfera.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Previsões para 2009

Se não gostasse de correr riscos, limitar-me-ia a escrever que, depois de um mês de Dezembro em que expiámos os nossos pecados dedicando algum tempo à caridadezinha e a fazer balanços do ano e promessas para o próximo, entraremos em 2009 dispostos a grandes mudanças. No entanto, depois de três actos eleitorais, chegaremos a Dezembro com a sensação de que nada de substancial mudou nas nossas vidas. Continuaremos, por isso, a lamentar a crise e a gastar pipas de massa no Natal, reconfortados com nova maioria de Sócrates e um novo líder no PSD.
Só que eu gosto de correr riscos e vou fazer umas previsões mais arrojadas…
Política
O próximo ano vai ser bastante duro e difícil para os portugueses que não tenham um Banco, nem detenham posições importantes nas grandes empresas. Estes estão safos, porque José Sócrates e Teixeira dos Santos abrirão generosamente os cordões das nossas bolsas de contribuintes para socorrer estas vítimas do capitalismo libertino.
Quanto aos restantes portugueses, resta-lhes a esperança de terem um ano muito divertido, ante a perspectiva de 3 actos eleitorais.Não me alongarei nas questões políticas, apenas chamo a vossa atenção para a possibilidade de assistirmos a episódios hilariantes que irão ocorrer durante as campanhas. António Costa pintará mais umas passadeiras em Lisboa, Santana Lopes receberá uma nova incubadora e voltará a ser “menino Guerreiro”,Sócrates anunciará pela enésima vez a inauguração de um fontanário em Pegões, comprará mais meia dúzia de fatos, para ver se sobe no ranking dos mais bem vestidos e contemplará mais uma dúzia de funcionários públicos com medidas de carácter social. Para compensar, salvará mais meia dúzia de Bancos distribuirá benesses pelo grande capital e anunciará medidas para salvar as empresas e o emprego.
Manuela Ferreira Leite, retirada da política, passará o Natal em Londres, brincando com o neto e Cavaco Silva anunciará que se avizinham tempos difíceis para 2010.
Sócrates –que continuará a afirmar ser socialista sem se rir- garantirá nova maioria, mas bastante precária, pois o PS só terá 114 deputados. Antevê-se a projecção de um novo queijo que garanta a maioria.
António Costa, depois de muitas hesitações, recusará uma aliança com o PCP e Santana Lopes voltará a dirigir os destinos de Lisboa. A capital portuguesa transformar-se-á na cidade Gruyère, graças à profusão de túneis que a nova edilidade projecta para Lisboa.

Desporto
Felizes, lá para o final de Maio, estarão os benfiquistas, graças à conquista do segundo título em 14 anos. Disputando apenas 18 jogos em 5 meses, a agremiação encarnada assistirá, refastelada no sofá, à queda dos restantes candidatos ao título nas competições europeias. Os festejos estender-se-ão, como sempre, de Lisboa a Timor e ilhas adjacentes ao Planeta Terra. A Bola fará uma edição especial, elegerá Quique como o Treinador do Ano, Rui Costa como Dirigente do Ano, Bynia como Revelação do Ano. LFV será reeleito com 98% dos votos e os portistas respirarão de alívio.O FC Porto esteve a um passo das meias-finais da Liga dos Campeões, mas falhou o objectivo e a sua época foi desastrosa, pois apostou tudo na conquista europeia, como forma de dar uma resposta a Platini. O presidente uefeiro estará em maus lençóis. Apostou na presença de equipas de segundo plano nas grandes competições euroepias, mas o alastramento dos salários em atraso em países como a Ucrânia, Chipre, Roménia, Bielorrússia e outros países satélites vão demonstrar que a sua estratégia estava errada.Portugal falhará o apuramento para o Mundial 2010, mas Queirós passará falar com sotaque brasileiro nas conferências de imprensa e grande parte da imprensa desportiva render-se-á às suas capacidades, passando a apontar alguns jogadores como os grandes culpados do insucesso.Scolari obterá uma grande vitória. Não conseguindo o apuramento directo do Chelsea para Liga dos Campeões, será despedido, o que lhe permitirá receber avultada indemnização.


Educação
Numa escola de Matosinhos uma professora será espancada e a directora da DREN virá dizer que se tratou de uma brincadeira de mau gosto. Graves, continuarão a ser os insultos, mas só se forem proferidos num gabinete, pelo professor Fernando Charrua. A Ministra da Educação tem a mesma opinião, pelo que Margarida Moreira conseguirá a proeza de chegar ao final do ano como directora da DREN, sem que nenhuma alma caridosa a apelide de idiota.
Portugal anunciará o fim da iliteracia, graças a uma nova reforma educativa que permitirá a todas as crianças concluir o 9º ano de escolaridade obrigatória sem ir à escola. Bastará comprovarem que não foram, porque ficaram em casa a ajudar os pais na labuta diária.

Justiça
As técnicas de reinserção social, juízes e demais intervenientes no caso Esmeralda continuarão a dormir tranquilos, afirmando que se limitaram a aplicar a Lei.
Oliveira e Costa será , em princípio, libertado, mas também poderá acontecer que seja mantido em prisão preventiva, como símbolo da luta anti-corrupção.
Dias Loureiro será arrolado como testemunha no processo BPN.
Uma dúzia de pilha galinhas será condenado a penas exemplares. Os criminosos continuarão sujeitos a termo de identidade e residência. Os banqueiros que nos arruinaram serão deportados para paraísos balneares.
Quem duvidar da seriedade dos banqueiros, gestores que passaram à reforma por doença ou invalidez, para trabalharem noutras empresas e políticos será condenado a prestar trabalho comunitário durante um período que poderá variar entre 1 e 5 anos. A medida destina-se a presrvar a Democracia.

Economia
A Economia é a ciência preferida dos adeptos do João Pinto. Incapazes de acertar numa previsão, os economistas são os maiores fãs do ex-lateral portista, para quem prognósticos só se fazem no final do jogo. Será por isso, com espanto, que veremos o mundo sair da crise, sem que os economistas consigam explicar como tal foi possível.
Atarantados com o agravamento da crise em Portugal, os portugueses passarão férias em Punta Cana, Varadero e Cancún. Os saldos transformar-se-ão em momentos orgásticos e o endividamento aumentará.
Manuel Pinho anuncia mais incentivos às empresas para evitar a falência e combater o desemprego. O Governo anunciará o apoio a mais três bancos . Professores e funcionários públicos voltarão a ver os seus salários congelados em 2010 e o pagamento de ADSE durante 14 meses será alargado a todos os funcionários públicos, como forma de compensar as perdas da banca.

Sociedade
Os Contemporâneos serão a nova coqueluche no primeiro semestre, mas verão o seu sucesso esfumar-se, depois de assinarem contrato com a SIC.
Os Gato Fedorento regressarão à RTP.
Lili Caneças interpretará um papel de relevo numa peça de La Feria.
Cláudia Vieira posará nua para a edição portuguesa da Playboy e centenas de jovens descobrirão as maravilhas da masturbação. Centenas de idosos pensarão que CV é a versão portuguesa do Viagra e rumarão a Fátima.
E por aqui me fico, porque a prosa já vai longa. Bom Ano de 2009!
Peço desculpas pela demora verificada na publicação dos vossos comentários.
A partir de amanhã a situação estará normalizada. O regresso às postagens diárias está para breve.
Amanhã ( segunda-feira) é véspera de Reis. Esperem por novidades!!!