segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (71)

Nunca fui fã do Carnaval e muito menos de bailinhos onde se ouvia música brasileira até à exaustão e toda a gente tinha de transpirar  felicidade.
Não nego, porém, que era ( e sou) fã de Gal Costa, por isso nesta noite de Carnaval deixo-vos um pot pourri de canções de Carnaval ( de que até eu gosto) interpretadas por Gal Costa.
Divirtam-se!

Pimenta na língua

" Nunca mais nomeiam a porcaria do candidato do PSD à Câmara de Lisboa"
(José Miguel Júdice advogado)
Então isso diz-se?
Apesar de estarmos no Carnaval isso não é próprio de um ex militante do PSD,apoiante de Cavaco e ex-apoiante de Maria José Nogueira Pinto e de António Costa (nas autárquicas de 2007)

Gente infeliz sem coluna

- Se a D. Assunção tivesse um pingo de vergonha estava calada. Se acha que um tipo que fez vista grossa à fuga de 10 mil  milhões de euros é uma pessoa com carácter, sou obrigado a deduzir que Cristas ainda é pior do que ele.
- Parem com a lengalenga de que do acto de Paulo Núncio não resultou prejuízo para o país. Isso só é verdade, porque a vigarice foi descoberta. 
- Passos Coelho e o seu lambe cús Montenegro são uns cobardolas. Depois de descoberta a marosca, desapareceram de cena e mandaram para os cornos do touro Hugo Soares. Vermes de caca sem coluna vertebral!

Dia do Postal Ilustrado (42)- Solução


E a resposta é....
Estou na 6ª fila do lado esquerdo atrás de um casal muito sorridente ( ele é a minha irmã e ele o meu cunhado) Atrás de mim está um dos meus irmãos. A Janita acertou na minha idade. Tinha 13 anos. Faria 14 um mês mais tarde.


Como estamos no Carnaval, resolvi fazer algo diferente nesta rubrica.
Este é um postal personalizado, feito a partir de uma foto, tirada em 1963 durante um passeio de barco nos canais de Copenhaga.
Eu estou nesse barco e a pergunta que vos coloco é a seguinte: conseguem localizar-me?

Carnaval sem palhaços? Podia lá ser!




Os milhões que voaram durante o governo dos pafiosos não têm nada a ver com aquela lista de contribuintes VIP que Núncio e Marilú sempre negaram, mas se veio a saber terem existido.
Eu é que tenho a mania de fazer associações...
De qualquer modo, depois de Paulo Núncio ter admitido a sua responsabilidade política, contrariando Passos Coelho que na véspera, com aquela cara de parvo indignado que tão bem o caracteriza, tinha descartado essa responsabilidade, é absolutamente legítimo tirar três conclusões:
1- Paulo Núncio reconheceu uma responsabilidade que não tem, pois os secretários de estado não têm responsabilidade política.De acordo com a CRP, a responsabilidade política cabe exclusivamente a ministros e vice- primeiro ministros;
2- Como muito oportunamente lembra o embaixador Seixas da Costa, a CRP (artº 191º) é explícita ao estabelecer que os secretários de estado respondem perante o ministro da sua tutela o que significa que têm apenas responsabilidade funcional. A responsabilidade política é, portanto, do ministro de quem Paulo Núncio era ajudante. E quem era esse ministro? Não era um, eram dois: VÍTOR GASPAR e  MARIA LUÍS ALBUQUERQUE! Portanto, cabe a Miss Swaps e Vítor "brutal aumento de impostos" o dever de irem explicar-se à AR e a uma eventual comissão de inquérito que venha a ser criada para julgar os actos  (pouco transparentes, digamos)  praticados por membros do governo PSD/CDS.

3- A propósito dos 10 mil milhões que voaram para off shores, perante a passividade do governo anterior, Passos Coelho acusou António Costa de ser reles e ordinário. 
Provados que estão os factos e reconhecidos os erros por quem os praticou, é altura de Passos Coelho pedir  desculpa a António Costa pelos insultos e ao país por ter sido implacável com quem trabalha e negligente com quem vive a explorar os outros.
Se o não fizer, todo o pais terá direito de dizer a Passos Coelho
- ORDINÁRIO ÉS TU, PALHAÇO!
Eu sei que podia haver Carnaval sem palhaços, mas não era a mesma coisa...

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Chazinhos da Paróquia (7)



Estamos em plena quadra carnavalesca, por isso não vou entrar em concorrência com o Rei Momo, nem melindrar ninguém, sugerindo a visita de uma qualquer localidade onde se comemora o Carnaval com desfiles e outros eventos alegóricos.
Aliás, como nunca fui folião e o Carnaval sempre me passou um bocado ao lado, as minhas sugestões não seriam certamente muito felizes.
Assim, esta semana limito-me a desejar a quem gosta de se divertir que goze o Carnaval em pleno.  Se houver por aí alguns saudosistas de bailes de Carnaval à antiga, ainda me atrevo a sugerir uma ida ao Hotel Palácio de Seteais , em Sintra, que na próxima terça feira organiza um baile de Carnaval ao estilo da Corte, no século XVIII. E a ementa é a condizer...
Não resisto ainda a recordar que amanhã é o último dia em que pode ver a exposição de Amadeo Souza Cardoso no MNAC Trata-se de uma oportunidade única que ninguém deve perder! Porque a afluência tem sido muita,hoje  o Museu estará aberto até às 22 horas.
Depois da exposição - e já que está no Chiado - pode seguir o exemplo das senhoras da foto e ir a uma casa de chá mascarada. A Bénard é uma boa sugestão.
Bom fim de semana. Divirtam-se!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (70)


Michel  Fugain "Une belle histoire"

Boa noite e bom fim de semana carnavalesco.

Mundo Cão

O Leicester, surpreendente campeão inglês na época passada sob o comando do italiano Claudio Ranieri, escreveu uma das mais belas páginas do futebol mundial.
Meses depois o clube está ainda na luta para o apuramento para os 1/4 de final da Liga dos Campeões, mas em risco de ser despromovido.
Tanto bastou para que os dirigentes do clube inglês olvidassem o êxito da época passada e demitissem Claudio Ranieri. 
O mundo do futebol ( daqueles que amam o futebol) indignou-se com a injustiça e os dirigentes do Leicester apressaram-se a justificar a decisão. "Os jogadores estavam insatisfeitos com Ranieri"- explicaram
Resumindo: os jogadores que saíram do anonimato e conheceram a glória graças a Claudio Ranieri, agradecem-lhe rejeitando-o e, pior ainda, os dirigentes aceitam a posição dos jogadores e demitem o treinador. 
Dir-se-á que injustiças existem em toda a parte e que em futebol o que conta são os resultados. Neste caso, essa posição não colhe. Os adeptos queriam que Ranieri continuasse, mas a direcção ignorou-os e optou por satisfazer os caprichos dos jogadores.
Trata-se de um péssimo acto gestão dos dirigentes, que o clube pagará caro. Não auguro nada de bom a um clube cujos dirigentes se comportam desta forma. O mais provável é que, dentro de duas ou três épocas, o Leicester milite na terceira divisão inglesa. E é muito bem feito!

Desculpem a insistência...

... mas volto hoje ao tema da Inteligência Artificial.
Não só porque o assunto me interessa, mas também porque acompanhei com muita atenção a Conferência que decorreu no Parlamento esta semana.
Foram colocadas questões extremamente interessantes e de grande relevância para o futuro, que merecem reflexão. Deixo-vos apenas duas, como proposta para o fim de semana:
Se for reconhecida a personalidade jurídica ( as máquinas forem consideradas pessoas) aos robôs e avançar a proposta de que devem pagar impostos, pergunta-se:
- Se pagam impostos e são pessoas os robôs poderão votar?
- Uma pessoa que tenha um robô em casa, mas se farte dele ( porque arranjou um mais moderno, ou porque já não precisa) pode mandá-lo para a sucata? E vendê-lo?
Aproveitem o fim de semana para pensar no assunto e depois digam-me qualquer coisa. ok?

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (69)

Faz hoje 30 anos que morreu Zeca Afonso. "Vejam bem" (como o tempo passa!) 

Qualquer canção que escolhesse para estas memórias receberia aplausos ou avisos  "Gosto mais desta". Nem eu consegui obter um consenso comigo mesmo! 

Mas tenho quase  a certeza que a escolha do Zeca para esta noite merece unanimidade.

Boa noite!

Geração "R" ( mas não é rasca...)



Tem sido notícia nos últimos dias:
"Há cada vez mais jovens a consumir Ritalina"
Sinceramente não foi notícia que me preocupasse. Habitado que estou a  ver miúdos de 14, 15 e 16 anos a cair de bêbados ou pedrados com coca em madrugadas de fim de semana ( que começam à quinta-feira), não estranho minimamente que também consumam drogas  legalizadas como a Ritalina. Alegadamente, fazem-no para se concentrarem e conseguirem "absorver" melhor  o tempo de estudo.
Quando era estudante, a Ritalina já era usada em vésperas de exames, ou como "droga dos pobres", por isso, a única coisa que me espantou, inicialmente, foi que os jovens de hoje ainda não tivessem descoberto um sucedâneo, porventura mais potente.
Passei da indiferença à indignação, quando vi um psiquiatra dizer que há pais a administrarem Ritalina a crianças com 2 e 3 anos de idade.  É que isso já  me parece quase crime. 
Hoje, quando falava sobre o assunto com uns amigos, houve um que lembrou que a Ritalina substituía as sopas de cavalo cansado que, noutros tempos, famílias pobres e davam às crianças antes de irem para a escola.
A comparação é extremamente infeliz. 
Com efeito, as crianças que iam para a escola com sopas de vinho eram pobres e os pais. além de serem analfabetos ou pouco instruídos, não tinham mais nada para lhes dar. 
As crianças de 2 e 3  anos que hoje em dia consomem Ritalina, são filhas de pais com poder de compra que não estão para aturar a sua hiperactividade, as suas perguntas e a sua criatividade. Nada melhor, por isso, do que enfiar-lhes uma droga que os deixa como zombies, calminhos e livra os pais de perguntas "chatas" e incómodas. É um sossego.
Gostaria de perguntar a quem de direito,se pais que agem desta forma com os seus filhos não deviam ser inibidos do poder paternal por estarem a criar monstros telecomandados que, atingida a idade adulta, terão certamente comportamentos atípicos
Será que os pais de Donald Trump lhe terão dado Ritalina quando era miúdo?

Um número curioso

Ficou célebre a tirada de Mota Amaral (então presidente da AR) quando, ao  invocar o artº 69º do Regimento, acrescentou um aparte:"curioso número este".
Hoje lembrei-me deste episódio a propósito de um outro número: 10000000000 (Traduzido para português 10 mil milhões)
Parece-me também assaz curioso que este seja o número de euros que entre 2011 e 2014 voaram  de bancos portugueses  para offshores, sem que (aparentemente) o fisco se tenha apercebido.
Porque me parece este número assaz curioso? Simplesmente porque esta fuga se deu na altura em que o PSD e o CDS estavam no governo ( o secretário de estado do tesouro era Paulo Núncio do CDS) e Cavaco Silva era presidente da república.
Obviamente que isto nada tem a ver com BPN, BANIF, ou Novo Banco. Nem com Dias Loureiro, Oliveira e Costa ou outro dos amigos de Cavaco especialistas em finanças alternativas.
Ora, por isso mesmo, é que considero um número assaz curioso. Provavelmente, os 10000000000€ voaram para os offshores na vaca voadora de António Costa. Ou então, o juiz Carlos Alexandre ainda os vai encontrar numa conta de um amigo de Sócrates.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (68)


" When a man loves a woman" é mais do que uma canção imortal. É a celebração do amor numa pauta musical.  
Retiro-me respeitosamente, sem mais palavras. Apenas com um agradecimento a Percy Sledge (1941-2015) pelo legado que nos deixou.
Boa noite!

Naquele engano de alma ledo e cego...

Passos faz figura de corno e diz que foi o último a saber.
A sua esposa política, sentindo-se apanhada, garante que sempre lhe foi fiel e está a ser vítima de uma cabala injuriosa.
Estão bem um para o outro...

AVISO MUITO IMPORTANTE!

Em defesa da vossa sanidade mental, venho avisar-vos que esta noite se devem abster de sintonizar a RTP. Cavaco vai ser entrevistado por Vítor Gonçalves e isso normalmente provoca fortes vómitos.
Se tiverem alguma indisposição, não digam que não avisei!

Ai Assunção, Assunção!

Assunção Cristas está escandalizada porque o governo decidiu manter inalterado o imposto sobre os combustíveis.
A gasolina está cara? Está.  É chato? É,  mas tem remédio. Poderia sugerir a Assunção Cristas que fizesse como as suas congéneres do norte da Europa e trocasse o automóvel pela bicicleta, mas não vou tão longe.  
Limito-me a sugerir à   presidente do CDS  que utilize os transportes públicos e aconselhe os portugueses a fazerem o mesmo. 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (67)



Harry Nilson ( 1941-1994) teve vários sucessos . Everybody's Talkin (1969) é um deles mas este Without you é de ir às nuvens. 
Boa noite!

Quem quer casar com a Carochinha?




Há menos de um mês escrevi um post sobre Inteligência Artificial (IA) onde levantei questões que me pareceram pertinentes sobre o futuro, nomeadamente a possibilidade de legalizar o casamento entre pessoas e humanóides 
O post era bastante extenso e, quiçá por esse motivo, não mereceu a atenção de muitos leitores. 
Hoje volto ao assunto porque há dias o Parlamento Europeu (PE)deu o primeiro passo para definir o enquadramento legal dos robôs. 
Estando vedada ao PE a iniciativa legislativa, a discussão que decorreu na última quinta-feira em Estrasburgo visava, essencialmente, sensibilizar a Comissão para as questões levantadas pela IA , a personalidade jurídica dos robôs, a sua responsabilidade civil ou criminal  e  a relação entre  pessoas e "máquinas".
À partida há uma questão que me preocupa muito mais do que a ideia de ver homens e mulheres a casarem-se com máquinas. É a bondade de quem acredita que a IA só será usada para o bem e nunca para o mal. 
Conhecimentos básicos de História seriam suficientes para ninguém ter a leviandade de acreditar que a IA nunca será utilizada para criar máquinas assassinas ou terroristas por controlo remoto. Para quê usar um camião para fazer um ataque a uma multidão, se a IA permite que esse ataque se faça com um drone ou um robô militar "disfarçado" de varredor de rua?
Não sei se é a velhice, ou influência do "Exterminador Impalcável", mas confesso que a evolução da robótica me causa cada vez mais apreensão e sinto algum desconforto, quando me apercebo que este é um tema que as pessoas continuam a enquadrar no campo da ficção. Não é,  e vai sendo tempo de o perceber e assumir a IA como uma realidade que irá transformar as nossas vidas num prazo muito curto.
De qualquer modo, como não quero ferir a susceptibilidade de leitores/as mais "up to date", termino com uma nota optimista.
Vamos todos acreditar que dentro de alguns anos,  apesar de as máquinas estarem a fazer o trabalho de mais de 60% da população, os homens ( e mulheres) serão  mais felizes e os males do mundo serão erradicados.  Felizmente continuará a haver Joãos Ratões e Carochinhas. A dificuldade será destrinçar se é uma máquina ou uma mulher que à janela pergunta  a quem passa: "Quem quer casar com a Carochinha?"

Rui Moreira aderiu ao BE



O candidato do PSD à câmara do Porto disse, em entrevista ao JN, que " o Porto está nas mãos de radicais de esquerda".
Eu não sei quem é esse Álvaro ( na foto), nem  onde o PSD  o foi descobrir, mas não caio na teoria de quem afirma que o problema do homem foi ter tomado muita Ritalina em miúdo. 
Partindo do princípio que não estava bêbado quando deu a entrevista, o Álvaro laranja aplicou uma regra básica da política hodierna: se queres ser candidato a alguma coisa, mas ninguém te conhece,  dá uma entrevista e diz um disparate monstruoso. As redes sociais e os midia se encarregarão de te dar notoriedade.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (66)


Foi Frankie  Valli quem criou esta canção, um dos grandes sucessos do verão de 1968. Lembro-me perfeitamente da capa do disco, mas na verdade não o tenho no meu baú. 
Tenho sim este "Can't take my eyes off you" interpretada por Gloria Gaynor.
Se não conhecem, não percam.
Boa noite e boa semana

Conversas com o Papalagui (74)

-Então, tuga, foste ao lançamento do livro do Cavaco Silva?
- Não
- Então porquê? Aquilo foi um acontecimento importante e a sala estava a abarrotar
-Pois...mas eu  não reúno  nenhuma das condições necessárias para poder lá estar
- Que condições, tuga?
- Não tenho idade. Não sou  amigo dele. Não sou corrupto, nem sou arguido em processos relacionados com crimes de corrupção. Não enriqueci à custa do Cavaco e, "last but not the least", também nunca lhe dei dinheiro a ganhar, porque não percebo nada de bolsa. Chega?

Cuidado! Perigoso comunista à solta


Pelo menos desde 2012 se sabe que, para poder crescer, Portugal tem de reestruturar a dívida.
Essa hipótese começou por ser avançada por PCP e BE, mas não tardou muito até que Manuela Ferreira Leite e outras personalidades ligadas ao PSD e ao PS defendessem o mesmo.
Os mafiosos pafiosos que andaram a destruir o país durante mais de quatro anos nem queriam ouvir falar de reestruturação da dívida.  Sentados nos seus postos ministeriais, em empresas públicas ou  nas bancadas parlamentares a viver à conta do contribuinte, a  matilha que assaltou o poder acenando com um programa que nunca cumpriu, insistiu sempre na necessidade de infligir uma punição aos portugueses, obrigando-os a pagar a dívida até ao último cêntimo, de acordo com as regras impostas pela troika. Nem que para tal fosse necessário exigir aos trabalhadores trabalho à borla para  o resto da vida e aos pensionistas que abdicassem da totalidade das suas pensões até à morte.
Para aquele grupo de canalhas, quem falasse em reestruturação da dívida ou era comunista, ou vivia noutro planeta. 
A geringonça devolveu a trabalhadores e pensionistas o que o governo dos abjectos pafiosos lhes tinha roubado. Diminuiu a dívida e baixou o défice para níveis históricos, demonstrando que havia alternativa à austeridade cega e vingativa perpetrada por um governo maioritariamente constituído por retornados ressabiados, cujo  programa se resumia a uma única palavra:VINGANÇA
Se outros méritos não tivesse, a geringonça conseguiu o inimaginável: infiltrar um comunista  na CIP e, através de manobras eleitorais, fazê-lo eleger presidente.
Só assim se explica que António Saraiva tenha defendido,este fim de semana, a reestruturação da dívida portuguesa," para aliviar Portugal desta pesada mochila"
Temos de ter muito cuidado, porque os comunistas estão em toda a parte!

Trump and Mr Steps


Faz hoje um mês que Donald Trump chegou à Casa Branca.
Por razões que desconheço, a comunicação social portuguesa escondeu a presença de Mr. Steps no evento.
Passo por isso a divulgar o que se passou nesse dia em Washington, na Pensylvannia Avenue.
Após a tomada de posse, Zacharias Willmot, o mais respeitável conselheiro, disse ao presidente americano que lhe iria apresentar um sósia.
Intrigado e descrente, Trump perguntou:
- Mas onde raio foste encontrar um sósia meu, se eu sou único, Zac?
- Vive em Portugal mr. President. É Mr Steps Rabbitt
- Portugal? Mas isso é no Norte de África, Zac. Como é que  entre essa gente eu podia ter um sósia?
- Portugal fica na Europa, mesmo ao lado de Espanha, mr President.É a terra do Cristiano Ronaldo. Mr Steps Rabbit é branco e  também tem o cabelo alaranjado e olhos claros.
- Que coincidência! E eu a pensar que o Cristiano era africano. Apresenta-me então esse tipo,Zac
No final da cerimónia de tomada de posse, Willmott mandou entrar Mr Steps que, sorridente e altivo, se aproximou de Donald Trump de mão estendida, para o cumprimentar.
Trump olhou-o fixamente, estendeu-lhe a mão, mas logo a retirou e, em tom de desafio, perguntou a Willmott:
- Podes explicar-me quais são as semelhanças entre mim e este lambidinho,Zac?
- Fisicamente poderão não ser como duas gotas de água mas se reparar bem, mr President, vai encontrar muitas semelhanças. Onde são iguaizinhos é no cérebro. Pensam os dois exactamente da mesma maneira. 
- Ah sim? Então e Mr Steps é presidente do país do CR 7?
- Já foi prime minister como a Theresa, mr. President, mas apesar de ter ganho as eleições em Portugal,  a esquerda é que governa...
- Mau, Zac. Então ele é mais parecido com a Hillary do que comigo. Ela  teve mais votos, mas quem governa sou eu. Não percebo porque dizes que ele é meu sósia.
- Desculpe a insistência, mr President, mas mr Steps pensa exactamente da mesma forma que o senhor. A única diferença é que não diz e os portugueses ainda não sabem
- Ah estou a perceber. Portanto, mr Steps é tímido e  quer que eu vá ao país dele dar-lhe uma mãozinha para que o povo do Cristiano  fique a saber que somos amigos e o elejam. True?
-Exacto mr. President
- E o que tem mr Steps para me dar em troca? Não quero hotéis, porque não entro em concorrência com o CR7 e bancos também não me interessam....
- Bem, mr President, quando foi pm, mr Steps vendeu quase tudo o que havia para vender aos chineses e à Lady Merkel.  Agora só se forem os transportes e uns hospitaizecos que ainda são públicos.
- Ah,  ah ah! Well done, Zac. Eu vou lá ajudar mr Steps, mas tenho de me encontrar com  o Ronaldo. Quero que ele compre tudo o que os chineses já compraram. And you, mr Steps, quais são os seus planos depois de eu o fazer eleger President  do país do Ronaldo?
- Expulsar os refugiados e  construir um muro na fronteira com Espanha, porque eles estão a fazer um cemitério nuclear e isso é muito perigoso...
-Nuclear? Mas isso é great, mr Steps! Nada de construir muros. Eu quero é construir umas centrais nucleares no seu país. Depois vendo-lhas a bom preço. Negócio fechado. O seu  país tem mar,mr Steps?
- Milhares de quilómetros de costa marítima mr. President
- Good! Então quero construir onde me apetecer, sem  essa treta dos impactos ambientais. Agree, mr Steps? Good. Zac marca lá a visita  rápido. Já vi que o país de mr Steps é  muito bom para o negócio e não posso perder tempo. Time is money.
- E não gostaria de conversar um pouco com mr Steps sobre as suas ideias? 
- Para quê? Se ele é meu sósia, executa aquilo que eu penso e negócio fechado. Não tenho tempo para conversa fiada. Boa tarde, mr Steps. Foi um prazer negociar consigo, conhecê-lo.