terça-feira, 30 de Setembro de 2014

O Presidente insuflável

António Prôa diz que " A continuação de um presidente em part time não é boa para a cidade de Lisboa"
Compreendo a preocupação  sr Prôa, mas não me leve a mal que lhe pergunte:
"Um boneco insuflável a fazer de presidente  é bom para o país?"
Acalme-se, homem! António Costa foi eleito no domingo, está  de boa saúde, ainda não é secretário geral do PS, por isso não vejo qual é a pressa.  

A pegada ecológica de um caixeiro viajante

Os ambientalistas estão satisfeitos porque Portugal reduziu a sua pegada ecológica.
 É óbvio que essa redução se deve, fundamentalmente, à crise e não a quaisquer iniciativas do governo nesse sentido.  Aliás, Paulo Portas, com as suas constantes viagens turísticas tem contribuído para o aumento da pegada ecológica nacional e mundial. 
Urge mesmo perguntar  qual foi a pegada ecológica do marrafico ao longo destes anos de governação e qual a dimensão do seu contributo para a degradação ambiental do planeta. 

Caça ao Tesouro




Paula Teixeira da Cruz , cega perante o "sucesso" da sua reforma, insiste que a justiça está a funcionar. Provavelmente, não vê televisão. Há uma semana, no Prós e Contras, vimos os agentes da justiça quase unânimes a avisar que a justiça estava perto do caos. O professor José Tribolet, especialista em engenharia informática,  avisou que as coisas iriam continuar a degradar-se, porque continuava a insistir-se no erro.
Ontem, na TVI, confirmou-se: as coisas estão cada vez piores. A ministra da justiça continua a recusar o que toda agente que trabalha ou tem contacto com tribunais sabe: a justiça em Portugal está paralisada. E a culpa é de uma loira super vaidosa e incompetente, que desdenhou os avisos.
 Quem trabalha na área da justiça e não fica de rabo alapado na cadeira a perguntar ao espelho: " Espelho meu, houve algum ministro da justiça melhor do que eu?"  sabe que o caos está instaurado na justiça e esta peça mostra-o de forma iniludível (video) A não perder!
Há tribunais onde, encontrar um  processo,  é uma autêntica caça ao tesouro mas Paula, tal Miss Piggy da Justiça, destila vaidade no seu trabalho. Pouco lhe importa que, por causa da sua incúria e incompetência, haja portugueses a viver em situação extremamente difícil. Para ela a única coisa que conta é poder colocar no seu curriculum que foi autora da primeira reforma da Justiça em 200 anos. com o fito de um dia ser premiada  com um lugar de topo na burocracia europeia.
Paula Teixeira da Cruz  não reformou. Destruiu. É por isso que discordo em absoluto de quem exige a sua demissão. Além de não haver ninguém no seu perfeito juízo que aceite pegar no caos, Apesar de a expressão vergonha na cara não entrar no seu vocabulário Paula Teixeira da Cruz, ela tem de passar pela humilhação de ser apupada pelos portugueses e responsabilizada pelo crime que cometeu ao avançar, levianamente,com uma reforma incompetente e desleixada. 

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Quando a coerência vence a hipocrisia

São muitos os que criticam Costa, por não ter dito qualquer palavra sobre Seguro.
Não percebo a critica. Costa foi coerente com o que sempre afirmou na campanha: o seu adversário é Pedro Passos Coelho e não António José Seguro.E foi claro ao dizer que conta com todos os socialistas para levar a nau a bom porto.
Se bem me lembro, o novo candidato do PS a pm não é muito de dar a outra face. Muito menos, quando os adversários usam uma linguagem trauliteira e o ataque pessoal para o denegrir. 
Portanto, não há surpresa. Há coerência. E isso é de saudar.
Lamento é que, depois de tudo o que se passou durante a campanha, ainda haja quem defenda que António Costa devia ter sido  hipócrita. São, certamente, os mesmos que exigem clareza e verdade na vida política.
E só para terminar. Por acaso não é costume o vencido telefonar ao vencedor a dar-lhe os parabéns? Que me conste, Seguro não telefonou a Costa, mas disso ninguém fala.

O Dia Seguinte


Depois da esmagadora vitória  e da elevada comparência às urnas, ficou provado que António Costa  tinha razão quando desafiou Seguro. A maioria dos socialistas exigia uma mudança na liderança do PS. António Costa interpretou esse desejo, deu a cara e ganhou. Sem espinhas.
Ontem ouvi muitos socialistas e muitos comentadores dizerem que foi uma derrota para a direita. É verdade, mas a esquerda também não gostou da vitória de António Costa e, em certa medida, também saiu a perder. PCP e BE estavam mais confortáveis com Seguro e as reacções de Louçã e Jerónimo de Sousa são bem eloquentes sobre os engulhos que a  vitória de Costa lhes provocou.  Adiante…
Celebrada a vitória, é altura de guardar as bandeiras e conter a euforia . Avizinham-se tempos difíceis. Se é verdade que a dimensão da vitória irá permitir mais facilmente a união entre os socialistas e permitir a Costa centrar-se exclusivamente nos problemas do país, isso não torna a tarefa mais fácil.
1-Dentro de dias vai começar a  discussão do OE 2015 e Passos Coelho será obrigado a amenizar a austeridade, na tentativa de roubar espaço às críticas de Costa. É provável uma ligeira diminuição dos impostos e algumas medidas eleitoralistas, de modo a agradar ao eleitorado e dificultar um voto contra do PS. 
 O PS não poderá votar contra um OE que seja do agrado ( ainda que temporário e ilusório) dos portugueses  mas, se optar pela abstenção, Costa terá de suportar as críticas dos seguristas. O assunto vai ter de ser gerido com pinças e, seja qual for a decisão, deverá ser bem clara para todos os portugueses.
2-O PS vai ser obrigado a definir, em breve, a sua política de alianças. A reacção de Jerónimo de Sousa permite perceber que  o PCP não está interessado em alianças. Aliás, como vem sendo  hábito, se o PS ganhar as próximas legislativas com maioria absoluta ( o que não é  provável), no dia seguinte veremos o PCP  aliar-se ao PSD , para derrubar o governo.
3- Também não será fácil contar com o apoio do que restará do BE. O que Louçã escreveu   ontem no  FB  deixa pouca margem para dúvidas, mas tem a virtude de esclarecer que os valores da democracia para a extrema esquerda  só são aceitáveis fora do círculo  delimitado pelo próprio umbigo.
4- Costa já demonstrou ser hábil a negociar consensos mas, afastada a hipótese de o fazer com os partidos de esquerda com representação parlamentar, o espaço de manobra reduz-se drasticamente. 
 Terá, por isso, que aproveitar a galvanização da sua vitória interna- que se estendeu muito para além dos simpatizantes do PS-   e tentar ampliá-la criando um clima de esperança nos portugueses em relação ao futuro . Para isso tem de assumir compromissos e dizer claramente, sem meias palavras, o que pretende fazer se  vier a ser PM.
5- Aproveitar a fragilidade de PPC, ferido de morte politicamente, com o caso Tecnoforma, não deixará de ser uma tentação para o novo líder do PS.  Terá de o fazer com bom senso e na medida certa. É importante  manter Coelho a cozer em lume brando, mas sem que se chamusque demasiado, dando origem a uma crise interna no PSD e a uma alteração na liderança. Rui Rio seria um adversário temível e criou no país a imagem de que é muito diferente de Passos Coelho. Só quem não sabe como ele geriu  a Câmara do Porto é que acredita nessa história da Carochinha. Com Rui Rio a austeridade será implacável, mas virá com outras roupagens. 
6- Os desafios que se colocam ao país e ao PS obrigam António Costa a abandonar o discurso minimalista e abrir o jogo. Os portugueses compreendem as reservas durante a campanha interna mas, a partir de agora, vão pedir  mais a António Costa: vão exigir que ele mostre, com propostas concretas,  as  diferenças de fazer política e as ideias que tem para o país, que o separam de Seguro e de Passos. 
7- Não é provável que Costa o faça antes de ser eleito  SG do PS. Em minha opinião, não é sequer desejável . Mais uma razão para  acelerar as directas e eleger o novo SG do PS, o mais depressa possível. É a partir desse dia que o tempo começa a contar.
8- A direita já começou a reclamar a saída de António Costa da Câmara. É pouco provável- e nada desejável- que o faça antes de Cavaco marcar a data das legislativas. Seria melhor para todos que as legislativas se realizassem em maio ou Junho, dando tempo para que o novo governo possa elaborar o  orçamento para 2016.  Cavaco- que já pensou de igual forma- está agora ao lado dos seus correligionários e não quer antecipar as eleições. Ele quer é mesmo que o país se afunde- quanto mais melhor- e que o PSD esteja no governo o máximo tempo possível. O interesse do país que se lixe. Primeiro estão os interesses do PSD.
9-  De qualquer modo, seja qual for a obstrução de Cavaco, hoje, começou um novo ciclo no país. Pela primeira vez, nos últimos três anos, temos um líder da oposição credível e um governo completamente descredibilizado, por força  da fragilidade do seu líder, envolto em suspeitas que não consegue iludir. 
10- Passos e Portas estarão a esta hora preocupados com o futuro.  A  estratégia para o OE 2015 irá ser alterada. Portas irá ganhar alguns pontos, nomeadamente no que concerne à carga fiscal mas, em troca, terá de aceitar a coligação com o PSD para as legislativas de 2015, pois é a única forma de  Passos Coelho  minorar as perdas. 

Cravo & Ferradura

O cartoon de José Bandeira, hoje no DN

I'll always love you!

 Feliz cumpleaños, Mafalda

Aos 50 anos continuas muito sexy

domingo, 28 de Setembro de 2014

Seguro também ganhou

Nos próximos dias terei oportunidade de escrever sobre a esmagadora vitória de António Costa.
Hoje, fico-me por um "mea culpa".
Sempre manifestei a minha discordância com as primárias, mas sou obrigado a reconhecer que acabaram por ser benéficas. 
Em primeiro lugar, pela mobilização cívica que proporcionou. A larga adesão de simpatizantes foi uma vitória para a democracia. (Cerca de 180 mil votantes)
Em segundo lugar, porque a fractura que sempre receei pudesse dar-se no PS, logo após as eleições,não se vai verificar. A dimensão da vitória de Costa contribui para somar e não para dividir.
Em terceiro lugar, ficou muito claro que a família socialista exigia uma mudança que só os seguristas não conseguiam perceber. O resultado foi uma lufada de ar fresco na vida política portuguesa.
Em quarto lugar, a  mobilização mediática em torno destas eleições primárias foi francamente favorável ao PS. Compreendem-se os engulhos de Jerónimo de Sousa, cujas declarações - para ser simpático- reputo de muito infelizes. Já na S. Caetano à Lapa as garrafas de champagne ficaram por abrir e, como disse Marcelo Rebelo de Sousa, a partir de agora Passos Coelho terá muito com que se preocupar.
Finalmente (por agora) as primárias  provocaram um élan que permite devolver a esperança a muitos portugueses. Mesmo que o PS não venha a ganhar com maioria absoluta, as pessoas que destruíram o país e o venderam ao desbarato a interesses estrangeiros, serão definitivamente varridos da sociedade portuguesa.
A verdade é que, se Seguro tivesse aceitado ir para Congresso, nunca teria havido esta mobilização na sociedade portuguesa em torno do PS.
Por isso, mesmo sem querer, Seguro acaba por ser um vencedor da noite. Espero é que esta noite, ao chegar a casa, não tenha ido ao baú buscar a faca com que andou a apunhalar Sócrates durante os últimos 10 anos.

O mensageiro

Depois de ter recebido a visita do Espírito Santo, Pedro Passos Coelho foi abordado por um outro mensageiro que o avisou que o governo não irá demorar muito.
O - apesar de tudo-  ainda pm comunicou ao conselho nacional do PSD que isso se deve ao facto de a sua forma de fazer política incomodar muita gente.
Olha a grande novidade! Milhões de portugueses que há três anos estão ser  roubados nos salários e pensões já sabem disso há muito tempo.

Fora o árbitro!

Já é conhecida a azia que alguns árbitros provocam em Pinto da Costa, mas ontem ficou a saber-se  que o presidente do FC do Porto se sente "vigarizado" pelo árbitro supremo da Nação, Aníbal Cavaco Silva.
Só me espanta que Pinto da Costa tenha demorado tanto  tempo a perceber que o árbitro de Belém está comprado pela equipa da casa.

Le premier bonheur du jou



Para que ainda tenha alguma esperança no futuro, hoje é mesmo assim.
Tenham um bom domingo

sábado, 27 de Setembro de 2014

Branco é, galinha o põe

A Tecnoforma  diz que PPC só começou a  trabalhar na empresa em 2001. Portanto, quando  estes dois administradores da Tecnoforma disseram ao Expresso que PPC entrara para a Tecnoforma em 1996, como consultor, estavam a mentir. 
É isso? Ou era um consultor à borla?

E por falar em roedores...

Há dias  escrevi sobre os ratos no tribunal de Loures. Vai daí, lembrei-me de outro roedor que deve andar felicíssimo.
Envolto em polémica por causa do erro na colocação dos professores, Nuno (C)rato  rapidamente deixou de ser presa da comunicação social, graças à bronca com o pm.
Os professores continuam por colocar e, pior, sem saber quando serão, mas o ministro está sossegado no seu gabinete a ver se consegue desemborrar a fórmula matemática. Nas calminhas...

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

Bibó Porto (18): à procura de Harry Potter


Está no Porto , quer fazer um programa onde filho não entra, mas quer que ele se divirta enquanto está  a curtir o seu tempo?
Então, a sugestão que lhe dou é enviá-los à descoberta de Harry Potter.  Não, não estou a gozar consigo.
Foi no Porto, onde viveu e foi professora, que J.K.Rowling criou o Harry Potter. Agora,  uma agência de turismo  (No Tecto do Mundo) criou  um roteiro na cidade que permite seguir o rasto do pequeno feiticeiro, a partir dos percursos seguidos pela autora. Diz quem sabe que é diversão garantida. Porque não tentar?
Se quiser, também pode acompanhar os filhotes, porque adulto também entra neste programa divertido, que permite conhecer melhor o Porto. Livraria Lello incluída, está claro!

Festa rija na S. Caetano à Lapa

Hoje António José Seguro tinha todas as condições para brilhar no debate com PPC. Perante um pm fragilizado por uma suspeita que não conseguiu apagar, Seguro agarrou-se ao pedido de levantamento do sigilo bancário e não conseguiu levar PPC ao tapete.
Jerónimo de Sousa, falando em tom muito mais brando do que Seguro, foi muito mais acutilante e certeiro nos ataques desferidos.
O líder da oposição ficou-se pela voz esganiçada, repetindo o que leu nos jornais e nas redes sociais.  Está provado que está muito mais à vontade a criticar o seu opositor interno, do que o governo. Se vencer as eleições de domingo, haverá festa rija na S. Caetano à Lapa.

Passos Coelho, o Espírito Santo e a sombra de Cavaco ( actualizado)

Confirma-se que o Espírito Santo foi uma destas noites a Massamá para avivar a memória do primeiro-ministro.
Hoje, na AR, afirmou que nunca recebeu nada da Tecnoforma. Ou seja, recordou-se finalmente daquilo que até hoje garantia não ter memória.  
O Espírito Santo foi mais longe quando desceu a Massamá. Lembrou  a Passos Coelho que o dinheiro recebido afinal correspondia a despesas de representação. Ora bolas! Isto até eu era capaz de dizer ao senhor pm, não era preciso vir o Espírito Santo avivar-lhe a memória.
É claro que ficam por esclarecer  as  declarações de responsáveis da Tecnoforma que iam em sentido contrário, mas isso, a Tecnoforma promete explicar ainda hoje.
É óbvio que o facto de alegar ter  apenas recebido despesas de representação em nada contribui para o apuramento da verdade. Entre outrascoisas, continua por explicar:
- quanto recebeu em despesas de representação? É que há um limite para essas despesas...
- porque não declarou essa verbas quando fez o requerimento?
- qual a compatibilidade dos montantes recebidos com o regime de exclusividade?
- como é que não se recordando de nada há uma semana, se conseguiu agora lembrar de tantos pormenores? (Ah, já me esquecia do Espírito Santo!!!)
Como continuam por esclarecer muitos outros aspectos que, deliberadamente, PPC não quer esclarecer.
Do que PPC não se esqueceu foi de mandar uma bicada a Sócrates, com insinuações torpes ao processo "Freeport".
Só faltou a PPC dizer  que era preciso alguém nascer duas vezes para ser tão honesto como ele, mas isso era fazer concorrência a Cavaco.
Até agora continua tudo por esclarecer. Por muitas palmas e urros que a jagunçada da maioria lance nas bancadas, as dúvidas permanecem.

( Em actualização)

Confrontado  por Catarina Martins sobre a evidência de, à época, ser normal atribuir despesas de representação para fugir aos impostos, PPC passou a referir-se a reembolsos, em vez de despesas de representação, para justificar as verbas recebidas da "filial" da Tecnoforma.
As dúvidas ainda se tornaram mais evidentes depois desta alteração terminológica introduzida por PPC, mas uma coisa parece certa: Passos Coelho está apostado em demonstrar que trabalhou à borla durante três anos para "abrir portas".  
Acreditemos na bondade de PPC, mas ele deve ter sido o único porteiro, em todo o mundo, que nunca recebeu uma gorjeta!

quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

Aqui há... RATO!



No Prós & Contras de segunda-feira, a bastonária da Ordem dos Advogados  mostrou uma série de fotografias, onde se via a displicência no armazenamento dos processos em papel no improvisado tribunal de Loures. Espalhadps pelo chão, em contentores, expostos a inundações ou à voracidade de alguns animais. O secretário de estado da justiça e a juíza que o ladeava zombaram das advertências da bastonária e garantiram que os contentores ofereciam toda a segurança.
Hoje o Público  noticia que  as inundações de segunda- feira atingiram parcialmente alguns processos e que os roedores fizeram a sua aparição. A foto  acima tem sido, aliás, um grande sucesso nas redes sociais.
Sempre atenta  e rápida a tomar decisões, Paula Teixeira da Cruz mandou o seu gabinete informar que a situação está sob controlo e que o MJ “está a investigar a origem dos roedores”.
 Podemos todos ficar descansados, portanto.

Se não foi pelo cú...foi pelas calças

Luís Montenegro afirmou há pouco, que amanhã o pm irá esclarecer tudo na AR. É óbvio que não vai esclarecer nada. Como é seu hábito ficar-se-á pelas meias verdades, jogará com as palavras para lançar mais alguma confusão e aproveitará o apoio da maioria parlamentar para fazer umas flores.Teresa Leal Coelho, aliás, já lhe abriu o caminho, ao enfatizar o facto de se tratar de uma denúncia anónima.
Como pode PPC explicar um caso de que não se recorda, como reiteradamente afirmou? Terá o Espírito Santo descido uma noite destas a Massamá, para lhe avivar a memória?
Montenegro adiantou que as respostas do pm serão apenas no plano político. No concernente a eventuais ilegalidades, nem uma palavra. E, por via das dúvidas, Azevedo Soares recusou-se a entregar as declarações de IRS de Passos Coelho, referentes aos anos de 1995 a 1999. Não creio que isso tenha muita importância, porque é provável que o dinehiro até lhe tenha sido entregue em cash e sem recibos, pelo que nada constará dessas declarações. Tudo limpinho e transparente, como PPC gosta.
 Deixemo-nos de tretas. A situação é muito clara: ou o actual pm recebeu dinheiro da Tecnoforma, quando estava em regime de exclusividade, ou  não estava de facto em regime de exclusividade e recebeu o subsídio de reintegração a que não tinha direito. Tudo o que PPC disser amanhã na AR, que fuja a estas questões, não passará de tergiversação e engonhanço, para receber os aplausos da bancada da maioria etentar garantir soundbytes favoráveis da comunicação social que lhe é afecta.

Parafraseando a sabedoria popular:  PPC recebeu dinheiro a que não tinha direito. "Se não foi pelo cú, foi pelas calças".
Aqueles que juram e põem as mãos no fogo pela honestidade de PPC, é melhor começarem a por as barbas de molho, É que PPC safar-se-á sempre, mas muita gente que o apoia com a cegueira de quem segue um guru, ficará apeada quando o líder do PSD for "pregar" a sua honestidade para outra freguesia. Se o homem fosse sério não andava a encanar a perna à rã com pedidos de esclarecimento à PGR e alegados lapsos de memória selectiva.Ou recupera a memória, ou vai continuar a queimar-se em lume brando.
Estar à espera que a PGR se pronuncie sobre um caso que não pode investigar, por já ter prescrito, é o mesmo que acreditar na ressurreição de um morto!
Além disso, independentemente do que a PGR viesse a apurar, é sempre bom lembrar que o ministério das finanças já recebeu um parecer da PGR sobre as 35 horas de trabalho semanais há quatro meses e ainda não o divulgou, estando com isso a prejudicar milhares de trabalhadores das autarquias. Esta gente quer enganar quem?
Já chega de tanta sonsice, porra!

Um novo ponta de lança para o Benfica

Desapareceu a declaração de rendimentos de Passos Coelho referente a 1999. Com este apuradíssimo  sentido de oportunidade, e a sorte sempre necessária a qualquer jogador, Pedro Passos Coelho bem pode vir a ser o ponta de lança que o Benfica procura.
Como alternativa, PPC pode  aproveitar a sorte que tem e ir todos os dias ao casino jogar na roleta.

O percalço

A ministra da justiça declarou, na AR, que a justiça estava a funcionar, o problema do Citius tinha sido apenas um percalço e que até se admirava se não houvesse percalços neste processo de reforma. 
A ministra tem uma lata interminável e não parece estar muito preocupada, mas o comunicado de ontem do Plenário do Conselho Superior de Magistratura- reunido em sessão extraordinária-  não só desmente a ministra, como é bem claro quanto à dimensão do percalço.
Aqui fica um excerto:

"(...)O Conselho Superior da Magistratura está ciente de que é essencialmente devido ao esforço
dos Magistrados e Oficiais de Justiça, com a compreensão dos Senhores Advogados e dos
cidadãos em geral que se tem procurado garantir a realização de diligências e actos processuais
em processos urgentes ou previamente agendados. Também está ciente de que este esforço não
pode prolongar-se indefinidamente e de que as intervenções até agora efectuadas pelo IGFEJ
ainda não permitem o acesso a todas as funcionalidades do CITIUS nem a tramitação normal de
todos os processos ou a correcta distribuição dos processos por Juiz e unidade orgânica.
Com sentido de dever e com espírito de colaboração institucional, o Conselho Superior da
Magistratura irá solicitar uma reunião com Sua Excelência a Senhora Ministra da Justiça para
reiterar as preocupações e posições do Conselho sobre a necessidade de urgente definição de um
plano para a normalização da actividade dos tribunais (...)"

quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

A contra-análise

Quase apostava que se a PGR concluísse que PPC tinha recebido ilegalmente dinheiro  enquanto deputado ( como é óbvio isso nunca acontecerá de forma conclusiva), o PM remeteria o caso para a Federação Portuguesa de Ciclismo e pedia uma contra análise.

Um porteiro pode ganhar 10 salários mínimos

O salário mínimo aumenta em outubro para 505€. Sensivelmente 10% do que a Tecnoforma pagou mensalmente a Pedro Passos Coelho, durante dois anos e meio, para   exercer a função de porteiro

A biografia

Se PPC relesse a sua biografia, resolvia rapidamente o seu lapso de memória selectiva



Pedro Passos Coelho começou por remeter para a AR esclarecimentos sobre o caso Tecnoforma e a legalidade da sua situação enquanto deputado.
Azevedo Soares, secretário-geral da AR, confirmou imediatamente que PPC não exercera o seu mandato de deputado em regime de exclusividade. Tudo parecia correr bem ao homem de Massamá.
No dia seguinte, porém, o Público revela a existência de documentos que comprovam o pedido de PPC para receber o subsídio de reintegração  a que tinha direito, por ter exercido o cargo de deputado em regime de exclusividade.
PPC voltou a empurrar o problema com a barriga para ganhar tempo. Insiste que não se lembra do que fez há 17, 18 ou 20 anos. E pede à PGR que o ajude a reavivar a memória.
Já aqui manifestei a estranheza por PPC não se lembrar de ter recebido 150 mil euros. Além disso, custa acreditar que PPC nunca tenha feito um curriculum. Terá sempre desempenhado as suas tarefas com base na cunha e no empenho?
Não precisva, porém, PPC de maçar a PGR, pedindo esclarecimentos sobre as suas actividades profissionais.
Bastaria reler a sua biografia, publicada na Revista do "Expresso" em Abril de 2011.
O texto traça o perfil de um candidato a primeiro ministro super rigoroso, de uma honestidade à prova de bala. Ângelo Correia afirma mesmo que não há pessoa mais honesta do que ele.Percebe-se que toda a biografia-  quase iconoclasta tantos são os predicados  que lhe são atribuídpos-   é um embuste e pretende criar nos portugueses a imagem de um homem acima de qualquer suspeita, cujo passado é garantia de rigor, isenção e honestidade, que põe os interesses do país acima dos interesses do partido.
Face a isto, percebe-se que ao remeter a questão para a PGR, Passos está apenas a querer ganhar tempo e a tentar iludir os portugueses com os seus lapsos de memória selectivos. Espera que a PGR lhe devolva a imagem de homem impoluto, ou deixe a questão arrastar-se no tempo até sair das páginas dos jornais. 
PPC pode enganar parvos e criar dúvidas em ingénuos, mas não resiste à prova do algodão.