quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Em Abril perguntas mil (2)

Se os portugueses fossem obrigados a fazer uma reflexão consistente sobre o seu comportamento cívico nos últimos, vá lá, 30 anos, chegariam à conclusão que  foram merecedores do 25 de Abril?

Cheira-me a esturro...

Ontem, na AR, Passos Coelho mandou uma alfinetada ao Portas, por causa dos submarinos
Hoje, a PGR emite um comunicado a informar que Paulo Portas foi ouvido como testemunha no âmbito do processo dos submarinos.
Estes dois factos em dias sucessivos já eram suficientes para torcer o nariz mas, enquanto especulava sobre o assunto veio-me à memória a pergunta de José Gomes Ferreira na entrevista a PPC sobre a saúde da coligação, a que o pm reagiu, amarrando Portas com alguma sobranceria. Parece-me óbvio, agora, que a pergunta foi encomendada.
Estranho é que Portas - nos últimos dias tem aparecido aos jornalistas com o cenho cerrado-  permaneça mudo e quedo. Embora tenha mandado avançar Pires de Lima e Cristas com duras críticas à Marilú, por causa da taxa sobre os produtos prejudiciais à saúde, o silêncio do vice pm suscita alguma especulação. Será que anda a recolher informações sobre a Tecnoforma, para contra atacar?
Não é por nada, mas cheira-me a esturro. Quem terá deixado queimar o assado?




Esquentadores fora de prazo

Como se não bastassem todas as tropelias dos últimos anos, a malta do governo agora quer vender-nos esquentadores fora de prazo

Não quero outro 25 de Abril

Basta que me devolvam aquele que me roubaram

Os rios correm para o mar!

Escolhe o teu rio e desagua, hoje à noite, no Largo do Carmo.
Concentrações em vários pontos da cidade e concelhos limítrofes. Podes ser a gota de água
Mais informações aqui

quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Garoto de programa

Este tipo é um programa! Depois de os asfixiar até quase à morte, quer deixá-los respirar para poderem votar nele
Mas isso foi de manhã. À tarde, depois de bem almoçado foi à AR, riu-se muito com as perguntas do PS sobre salários e reformas, mas não respondeu a uma única pergunta. Nesse momento lembrei-me logo do garoto de 2011. Em plena campanha eleitoral, garantia que não havia cortes em salários, nem pensões, nem subsídios e foi o que se viu.
O problema é que os tugas gostam de garotos de programa e acreditam nas petas todas que eles vomitam.

Troca por troca


Foto da internet

É hoje inaugurada na Praça de Londres, em Lisboa, uma nova biblioteca. Iniciativa do Movimento de Comerciantes da Avenida Guerra Junqueiro, Praça de Londres e Avenida de Roma ( que ano passado promoveu animadas iniciativas noite dentro) esta biblioteca inspira-se no conceito   book crossing. Quem quiser levar um livro deve deixar outro, promovendo assim a renovação do stock.
Instalada numa velha cabine telefónica , recuperada pela Fundação PT, a mini biblioteca lisboeta que será inaugurada às 19 horas  não é, porém,  pioneira em Portugal. 
Embora com um conceito diferente, foi inaugurada ano passado em Barcelinhos, num espaço de lazer, a primeira biblioteca instalada numa cabine telefónica.  Leia mais aqui

Em Abril perguntas mil

Foi para termos um governo submisso que se limita  a receber ordens deste palhaço GORDO oriundo de um  país onde a miséria aviltante serve de cartaz turístico, que houve um 25 de Abril?

A Censura do Livro no Estado Novo




Assinala-se hoje o Dia Mundial do Livro. Por razões já conhecidas não consegui escrever o post que desejava para assinalar a data. Recupero, por isso, o primeiro capítulo do trabalho académico que fiz sobre a "Censura do Livro no Estado Novo"


"O livro sempre foi visto com alguma desconfiança por poderes autoritários mas serviu, simultaneamente, de meio de propaganda desses poderes. Salazar, ao que consta, gostava de ler, mas foram muitos os livros cuja edição foi proibida em Portugal, por serem considerados “transmissores de ideias perigosas e nefastas, susceptíveis de corromperem a sociedade e os cidadãos”. 
Nem mesmo a literatura infantil escapou aos poderes da censura. Este excerto de uma ordem emanada pela Direcção dos serviços de Censura de Instruções sobre a literatura infantil, ilustra-o bem:
Parece desejável que as crianças portuguesas sejam cultivadas, não como cidadãos do Mundo, em preparação, mas como crianças portuguesas que mais tarde já não serão crianças, mas continuarão a ser portuguesas.”
No entanto, Salazar não menosprezava (e até incitava) a edição de livros que apregoassem as virtualidades do regime, que exaltassem a “nossa gesta”, ou os nossos “bons e brandos costumes”. Ditadores de sinal contrário tiveram atitudes idênticas ao longo da História e, só neste século, muitos foram os escritores obrigados a emigrar dos seus países para poderem divulgar as suas obras. Solnietsjine e Kundera, são apenas dois casos entre muitos que se podiam citar.
O cinema também nos deu, com Farehneit 451, uma imagem clara dos medos que os ditadores sempre tiveram dos livros e, em O Palácio dos Sonhos do escritor albanês Ismail Kandaré, ficámos também com uma visão dantesca da relação entre o Poder, a Censura e os livros.


Para exercer em plenitude a sua função, o livro precisa de sociedades democráticas. É aí que o livro se sente bem, pois só em democracia (numa perfeita e sã concorrência de títulos e autores) consegue derramar, despojado de ideias pré-concebidas, o conteúdo das suas mensagens. É em democracia que o livro se assume, sem subterfúgios, nas suas diversas - e por vezes antagónicas - vertentes: veículo de informação ou propaganda, instrumento de entretenimento e cultura, ou simplesmente objecto estético, destinado a emoldurar as prateleiras de uma estante, depositário de saberes, ou despertador de consciências.


Só que uma sociedade democrática não se mede apenas pela democracia dos poderes e das instituições, mas também pela capacidade de acesso das populações aos bens culturais (onde se inclui o livro) ou pelos hábitos de leitura, mas isso levar-me-ia por caminhos que não pretendo aqui abordar. Apenas quero deixar bem vincada a ideia de que o livro, embora movendo-se numa trajectória específica deste mundo global, tem resistido a todos os ataques, incluindo os da Censura e da PIDE. Ferozes na Metrópole, mais brandas mas igualmente tentaculares nas ex-colónias. Como adiante se verá!...
Nota adicional. quem estiver interessado em ler os excertos do trabalho que publiquei no CR, pode encontrá-los na etiqueta Rochedo das Memórias ( do post nº 98 ao 110)

terça-feira, 22 de Abril de 2014

Os tolinhos também se riem das desgraças



Anda o governo a proclamar aos sete ventos os seus feitos históricos;
Andam os ministros munidos do instrumento a martelar números que embelezem a realidade;
Vai um fulano à televisão armado em pm e diz a um capanga que se presta a desempenhar o papel de jornalista e entrevistador, que o seu governo foi o que mais reduziu o défice e... a realidade decide contrariá-lo 
O governo, porém, continua feliz com os números alcançados. Como os tolinhos que se riem das desgraças...

Alta Definição

As primeiras horas de gripe deixam-me num estado de letargia estúpido. Não consigo ler, não me apetece falar com ninguém, tenho dificuldade em concentrar-me. A única acção possível, enquanto me aninho debaixo dos lençóis à espera que a gripe passe,  é fazer zapping.
Foi assim que, na tarde de sábado, dei por mim a ver  o “Alta Definição”, programa de que fujo como o diabo da cruz. Só que no sábado o convidado era Otelo Saraiva de Carvalho e deixei-me ficar a ouvir os últimos minutos da entrevista.  Muito útil para alguém mais distraído que não tenha identificado estas personagens.

Bolhas de ar


Em média um homem precisa para sobreviver, em condições ditas normais, de cerca de um quilo de alimentos e mais de 1 litro de água por dia. Compreende-se, pois, que haja uma grande preocupação com a qualidade dos alimentos que ingerimos ou da água que bebemos. Mas precisamos também de 25 quilos de ar!
Todos sabemos que ninguém vive apenas de ar... no entanto, a  sua importância para a nossa sobrevivência é tão determinante, que se estivermos apenas alguns minutos sem respirar morremos, mas poderemos sobreviver alguns dias sem nos alimentarmos ou sem beber qualquer líquido.
A má qualidade do ar urbano é um dos maiores problemas que se depara aos responsáveis políticos das grandes cidades, principalmente naquelas cujo desenvolvimento tem acarretado um aumento exponencial do tráfego.
Nos últimos anos é recorrente falar das cidades chinesas como exemplos de metrópoles cujo desenvolvimento as tornou irrespiráveis. Apesar da poluição insuportável, Pequim não é a cidade com piores condições atmosféricas na China. No entanto, o facto de ser a capital tem levado as autoridades chinesas a preocuparem-se especialmente com a melhoria da qualidade do ar.
A boa notícia, neste Dia da Terra, é que uns cientistas inventaram umas bolhas que podem contribuir para atenuar um problema que afecta todo o mundo: a deterioração da qualidade do ar.
Normalmente, quando se fala de bolhas, adivinha-se logo uma crise qualquer. Neste caso, porém, é diferente. Estas bolhas podem ajudar a tornar o ar mais respirável.

Não era precisa uma sondagem...


...para chegar a esta conclusão, mas ver Cristiano Ronaldo na lista é um bocadinho deprimente.

Sem palavras






Hoje é Dia da Terra. Este ano não escrevo nenhum texto. Deixo-vos apenas este conjunto de imagens e uma pergunta: é esta a Terra que queremos deixar aos nossos filhos?

segunda-feira, 21 de Abril de 2014

A Terra vai de Selfie?

Amanhã, 22 de Abril, assinala-se o Dia da Terra.  Como acontece todos os anos, há milhares de formas úteis que as pessoas podem escolher para assinalar a efeméride. Este ano, a NASA quis ser original e sugeriu aos cidadãos de todo o mundo que tirem uma selfie e partilhem as fotografias nas redes sociais.
Temo que haja por aí muitos ingénuos a participar no joguinho aparentemente inocente. Talvez seja, mas eu sou muito desconfiado! 
Assim, assinalarei o dia de outra forma. Menos original, mas mais pragmática.

Falou o chefe de (es)quina

Paulo Portas veio confirmar a encenação
A Marilú meteu a viola no... saco e quem vai pagar são os suspeitos do costume. Vão aumentar as deslocações a Espanha. Rajoy agradece.  Aceitam-se encomendas. As minhas cigarrilhas custam menos de metade em Espanha.

Revolta na caserna?

O soldado disciplinado rebelou-se? Não! Foi apenas uma encenação. Toda a gente- incluindo a ministra das finanças- sabe que a taxa anunciada sobre produtos nocivos para a saúde nunca será aplicada. Pires de Lima, sabendo disso, recebeu luz verde de Portas para fingir que o CDS discorda do governo e não permitirá a aplicação dessa taxa.
Se, num novo acesso de teimosia, Passos Coelho decidir mostrar que é ele quem manda no quartel e avançar mesma com a taxa sobre as batatas fritas, aperitivos, sumos ou chocolates, Pires de Lima voltará a ser um soldado disciplinado. Como aconteceu com o IRS sobre a restauração, cuja descida exigia até ao dia em que foi ocupar o lugar do Álvaro.

Para mais tarde recordar

Há dias, enquanto "televia" os três ex-Presidentes da República da democracia reunidos  numa conferência sobre os 40 anos do 25 de Abril, antevia as comemorações do cinquentenário. 
Alguém se atreverá a incluir Cavaco Silva num painel com ex-presidentes da República? Como encaixar um eunuco mental entre gente que pensa, tem ideias, sabe discuti-las e defendê-las? Como encaixar gente genuinamente democrata com uma rábula como Cavaco? Como mesclar gente que lutou contra a ditadura 
( Soares e Sampaio) com um  tipo que  confessou estar perfeitamente enquadrado com o espírito do Estado Novo? Como  conciliar gente íntegra que serviu o país com lealdade e espírito de missão (Eanes) com um tipo que se serviu do país, se banqueteou durante duas décadas à mesa do orçamento e ainda levou para casa uns trocos oferecidos por uns banqueiros vigaristas que ele promoveu a membros do governo?
 E se para tornear esta dificuldade, o Expresso de 2024 optar por convidar ex-primeiros ministros? Alguém imagina  Cavaco ( porra, o homem está em toda a parte!)Passos Coelho, Seguro, Santana Lopes ou Barroso a debater ideias? Fica apenas com  pessoas como Guterres, ou mesmo Sócrates?
Enquanto televia a conferência, a ideia que constantemente me assaltava era  que aquele momento é irrepetível. Daqui a 10 anos os ex-lideres políticos que ainda valha a pena ouvir e não tenham  uma memória deturpada do 25 de Abril, serão muito poucos. A tendência é apagar das memórias de Abril aquilo que teve de genuíno e revolucionário. Seguro, Passos Coelho, Santana Lopes, Durão Barroso ou Sócrates, nunca serão memórias fiáveis  do 25 de Abril.
Daí que seja importante- diria mesmo determinante para preservar a História- guardar os testemunhos de gente que lutou pela democracia e por um país mais justo, mais solidário e fraterno.  Confiar em gente que vendeu o país a retalho  como Coelho ou Portas, perverteu os ideias de Abril como Cavaco ou Barroso - quiçá Seguro- ou simplesmente traíram o país entregando-o a interesses estrangeiros, é perverter a História. Por isso, meus caros, esta é a última oportunidade de celebrarmos uma data redonda do 25 de Abril, preservando a memória. A partir daqui, ou o país dá uma grande volta, ou o que nos resta é ouvir as ladainhas mentirosas de um grupo de bandidos que tem como único objectivo perverter a memória e enganar a História.

domingo, 20 de Abril de 2014

Limpinho, limpinho!

Apesar da gripe, não quero deixar de felicitar os meus leitores benfiquistas pela vitória na Liga. Foi justa e limpinha. Foi a vitória da melhor equipa portuguesa esta época. Nada a objectar. Digo-o com toda a sinceridade.
Compreendo bem a alegria de todos os benfiquistas. É muito especial festejar o quarto  título nos últimos  20 anos e o terceiro deste século. As coisas boas são para se saborearem!
O mesmo não podem dizer os portistas que nos 14 anos deste século, para além de duas Ligas Europeias, uma Taça Intercontinental e uma Liga dos Campeões, ainda conquistaram 9 vezes a Liga Nacional. Tudo o que é demais enjoa! ( Só digo isto, para que os benfiquistas não queiram  ganhar  muitos anos seguidos...)
Pronto, já sei que o FC do Porto ganhou sempre injustamente, ajudado pelas arbitragens, etc.etc.etc. mas não se preocupem agora em lembrar-me isso. Desfrutem mas é a vossa  saborosa vitória e- digo-o uma vez mais com sinceridade - espero estar aqui, dentro de quatro semanas,  a dar-vos os parabéns pela conquista da Liga Europa.
Força, Benfica!

Le premier boneur du jour


Na impossibilidade de visitar todos os amigos, deixo aqui os meus votos de Páscoa Feliz  e espero que gostem do video...

sábado, 19 de Abril de 2014

Desculpem a curiosidade....

 Já compraram o pão de ló e as amêndoas?
Então, tenham uma Páscoa Feliz

A garrafeira ( de Páscoa)


"Perguntam-me muitas vezes por que motivo nunca falo do governo nestas crónicas e a pergunta surpreende-me sempre. Qual Governo? É que não existe governo nenhum. Existe um bando de meninos, a quem os pais vestiram casaco como para um baptizado ou um casamento.

Existe um Aguiar Branco e um Poiares Maduro. Porque não juntar-lhes um Colares Tinto ou um Mateus Rosé? É que tenho a impressão de estar num jogo de índios e menos vinho não lhes fazia mal".



( António Lobo Antunes)