quinta-feira, 16 de agosto de 2018

I say a little prayer



Há vozes que nunca esquecerei, mas a de Aretha Franklin é incomparável e estará sempre acima de qualquer outra. 
Não tenho palavras para definir Aretha Franklin. Ela não era excepcional, nem fora de série. Era simplesmente ÚNICA. Ao longo da carreira colecionou tantos êxitos, esteve tantas vezes nos tops, que poderia estar aqui um mês a  recordar os seus sucessos.
Num inquérito realizado pela Rolling Stone, para escolher as 100 melhores vozes do século XX, Aretha Franklin ficou em primeiro lugar.
Se foi "Respect" que me deu a conhecer Aretha, canções como "I say a Little Prayer" , "(You Make me feel) Like a natural Woman" ou "Spanish Harlem"ainda hoje me provocam fortes arritmias.
Obrigado, Rainha, pelos bons momentos que me proporcionaste com as tuas canções. 
Tonight, "I say a Little Prayer for you". RIP

Feios, Porcos e Maus



Em Vila Praia de Âncora (Caminha), 5 automóveis, estacionados em zona proibida, foram arrastados para o mar. No local, reservado a embarcações, estavam estacionadas cerca de 100 viaturas.
Depois do incidente, a GNR multou 98 condutores. (Obviamente que, mantendo a tradição, só uma ínfima parte destas multas será paga). 
Leio  a notícia e não sei se deva ser mais assertivo na crítica à  tradicional falta de civismo destes tugas, ou à passividade das autoridades que só começaram a multar os condutores depois de as cinco viaturas terem sido apanhadas pela água do mar. Sei é que  se tivesse havido necessidade de socorrer alguém em dificuldades no mar, não seria possível movimentar uma embarcação.
Poderia tratar-se de um caso isolado, mas todos sabemos que não é. Tornou-se normal cada condutor estacionar onde lhe apetece ou mais lhe convém, perante a complacência das autoridades. Tornou-se hábito, neste pais de Brandos Costumes, acusar as autoridades de uso excessivo do poder e tolerar todo o tipo de comportamentos anti-sociais, impróprios de seres humanos e mais adequado a muares.
Se é  esta a Liberdade que o povo deste país pretende, PASSO. A minha noção de Liberdade não contempla egoísmo, falta de civismo, nem comportamentos selvagens. E a minha noção de Democracia assenta no respeito pelo outro e pelas regras socialmente estabelecidas, coisa que este povo de ignaros mesquinhos, obnubilado pelo consumismo acéfalo, rejeita. 

AVISO:Problemas de saúde têm-me afastado da Net. Gostaria de ter vindo aqui dar sinal de vida com um post menos agressivo mas, sinceramente, cada vez tenho menos pachorra para aturar  selvagens deste jaez. Fiquem bem

sábado, 11 de agosto de 2018

Cenas da vida real

Depois de um dia de calor, a praia de Carcavelos ficou no estado que podem ver se seguirem o link
Na verdade  é possível ver  esse cenário com alguma frequência.
Como também é muito normal ouvir as críticas acaloradas dos responsáveis pelo estado caótico das praias, das ruas ou dos jardins:

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

O perigo amarelo (1)



Este troglodita, com o apoio de Trump, quer ser o próximo inquilino do nº 10 de Downing .
A última das suas bacoradas foi comparar mulheres de burqa a marcos de correio. 
E ainda há quem diga que as loiras é que são burras!
Em Inglaterra, ainda há alguns políticos com um pingo de vergonha na cara mas, como não têm coragem de exigir a demissão de energúmenos como Boris Johnson, limitam-se a fazer advertências. 

A Gata



( Hoje  é o Dia Internacional do Gato. Assinalo a data, recuperando este texto que dediquei à Preta em Maio de 2009)

Era a gata mais feia que algum dia vi na vida, mas era uma gata simpática que me cumprimentava sempre que nos cruzávamos. Nas manhãs frias de Inverno sentava-se no beiral da garagem gozando os favores do sol e à minha passagem lançava-me um “miau” desprendido. Fazia-o por educação, porque àquela hora não estava para conversas.
Diferente era o seu comportamento se nos cruzávamos durante o dia. Por vezes abria-lhe a porta e deixava- a entrar no prédio, à minha frente. Saltava para a mesa do hall de entrada e lançava-me um miau dengoso de agradecimento.
Outras vezes, normalmente ao início da noite, quando chegava a casa, ela lá estava sentada nas patas traseiras. Assim que eu entrava lançava-me um longo miau. Era nessa hora que, habitualmente, conversávamos. Fixava o olhar dela no meu, tentando perceber as minhas palavras até que, em determinada altura, levantava a pata esquerda e coçava os olhos, como a perguntar: “quando é que aprendes a falar língua de gato para eu te entender? Nessa altura dava-lhe as boas noites e despedíamo-nos entre miaus amistosos.
Se chegava a casa cansado ou sem me apetecer conversar, ela só parava de miar quando eu entrava no elevador. Por vezes, já no elevador, lançava-lhe um desafio em voz de cão e ela elevava o tom do seu miar, mostrando o seu desagrado. “ Não estejas a desconversar!”.
Convivi com ela durante 10 anos. Ontem de manhã não a encontrei a apanhar banhos de sol, nem a vi durante todo o dia. Hoje de manhã perguntei por ela à porteira. Na terça–feira ficou doente. Morreu ontem de manhã nos braços do veterinário, que fez tudo para a salvar. Ataque de coração, foi o diagnóstico.
Não me pude despedir da minha amiga gata. Trocar com ela um último miar. Com quem vou conversar quando entrar no prédio logo à noite?
Que sejas feliz no céu dos gatos!

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Os bombeiros de sofá


Leio as redes sociais e descubro que em cada tuga há um potencial bombeiro. O que mais se lê por aí, é gente a mandar palpites, a tentar encontrar culpados , a apontar erros no combate aos fogos, a criticar ( ou defender) o governo consoante a sua posição poítica. Até parece a Bombeiral da Moda.
Eu gostava era de ler pessoas que têm soluões ou sabem dizer, com clareza, o que correu mal em Monchique. De caminho, podiam explicar-me por que razão a Califórnia todos os anos arde durante semanas e meses, sem que os americanos  consigam impedir o alastrar dos fogos. Bastava a esses críticos terem prestado atenção a um célebre relatório de 50 cientistas, incluindo vários prémios Nobel, divulgado em 1992, na Cimeira do Rio, para perceberem o que se está a passar . Mais: se tivessem agido em conformidade com o que lá se sugeria, exigindo aos governos que tomassem as medidas necessárias, o desenvolvimento económico teria sido mais sustentável e mais justo e neste momento não estávamos a assistir a discussões estéreis. As pessoas preferiram a via do consumismo , acreditaram no milagre económico da globalização e, como o Trampas, fingiram acreditar que os problemas ambientais eram uma coisa de maluquinhos. O resultado está à vista
Toda a gente critica os bombeiros e o governo, mas ninguém aponta soluções.Tantos recursos mal aproveitados!
Só me pergunto porque razão os americanos não vêm cá buscar alguns desses experts para apagar os incêndios que há semanas lavram na Califórnia.

Apitó comboio!



O serviço prestado pela CP tem-se degradado de forma acelerada, numa prova de total desrespeito pelos clientes. Refiro-me aos horários, mas também ao equipamento e à qualidade do serviço.
O CDS  aproveitou de imediato para  pedir a presença do ministro na AR para explicar a situação. ( como se não soubéssemos que o propósito do CDS não é a melhoria do serviço, mas criar condições para a privatização da CP)...
De imediato, PS e PSD começaram a trocar acusações, responsabilizando mutuamente o adversário pelo estado de degradação a que o serviço chegou.  
Na verdade a degradação da CP começou há várias décadas,  com  Cavaco Silva e  prosseguiu com  os governos  seguintes, que abandonaram a via férrea e apostaram no asfalto.  Não há inocentes nesta matéria. Nem Sócrates que apostava no TGV como um negócio rentável, mas sem visão de desenvolvimento, promoção da vida no interior do país, ou rentabilidade da empresa.
Há muitos anos que Portugal está em contraciclo com o que se passa na Europa, onde o transporte  ferroviário voltou a ser uma aposta no desenvolvimento. 
Em Fevereiro fui de comboio a Barcelona, pude comprovar a degradação do serviço do SudExpress e comparar com a aposta feita em Espanha. Quando em Madrid   mudei de comboio, tive a sensação de  estar a mudar de planeta, tal a diferença na qualidade do equipamento e do serviço prestado.
De uma coisa tenho a certeza. Muitas  estações ferroviárias são dignas de figurar nos roteiros turísticos, Como é o caso da estação de S. Bento, no Porto, classificada como uma das 10 mais belas estações de comboio do mundo.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Marcelo,o guia turístico



Tenho lido muitas críticas ao  PR por ter ido de férias rodeado de jornalistas.  É certo que não é uma situação muito comum, mas eu não critico o PR 
MRS  não está a fazer campanha, nem a promover a imagem. Está a dar a conhecer encantos deste país que a maioria dos portugueses, rotinados em praias das Caraíbas desconhecem. Conheço muito bem a região por onde Marcelo tem andado a tomar banho por estes dias e garanto-vos que merece uma visita, mesmo sem banhos nas águas quase sempre frias.  
A região alia  tranquilidade e beleza , combinação ideal para umas férias retemperadoras.  Faz bem MRS em promover esta região e em permitir que os jornalistas o acompanhem, pois só assim consegue o objectivo de divulgar uma região do país de enorme beleza.
E como os jornalistas só mostram MRS a sair da água e entrar na água, deixo-vos uma fotografia tirada na aldeia do Talasnal, em plena serra da Lousã, região sobre a qual fiz uma extensa reportagem fotográfica  quando lá estive pela última vez, no Outono de 2016. 

Espera-se o pior!

Num jogo entretido e por vezes bem disputado, vitória justíssima do FC do Porto na final da Supertaça, frente a um Aves que se bateu com dignidade, mas cuja entrega se traduziu num excesso de força que quase roçou a violência.
Desportivismo dentro e fora do relvado mas, cinco minutos depois do jogo terminar, aquele clube que pediu paz para a próxima época  fez um comunicado acusando FC do Porto de coagir o árbitro. 
Não pensava comentar tamanha idiotice mas como quem não se sente, não é filho de boa gente, quero lembrar os escribas da parte rufia da segunda circular, que o FC do Porto além de ver Brahimi lesionado, vítima de uma entrada violenta de um adversário, ainda viu o árbitro   fazer vista grossa a uma agressão a Herrera que o deixou a sangrar e todos os comentadores dizem ser merecedora de expulsão do jogador do Aves( este jogo não teve VAR, ou o VAR estava a dormir?) mas, perante os protestos do treinador e jogadores do FC do Porto, Luís Godinho expulsou Sérgio Conceição.
É certo que este  árbitro  já tinha feito um passe de grande qualidade a um jogador do Aves, que deu avanço no marcador  à equipa de José Mota e que o juiz eborense  já tinha entrado para o anedotário nacional da arbitragem no jogo em que depois de abalroar Danilo, ainda lhe deu ordem de expulsão. 
É certo que o FC do Porto já está habituado, há mais de 50 anos, a ser roubado por árbitros alentejanos ( lembram-se do gatuno Calabote?).  Os árbitros alentejanos gostam de boa pinga e Luís Godinho deve ter muitos vouchers para gastar na Catedral da Cerveja. 
Não precisavam por isso os escribas rufias da segunda circular de  demonstrar, com um comunicado saloio, que os êxitos do FC do Porto lhes provocam muita urticária e o calor  misturado com muito álcool lhes perturba a visão e o raciocínio. Se querem paz, pensem no Fenerbahce. É importante que se apurem para a fase de grupos da Liga dos Campeões e lavem a má imagem que deixaram na época passada. 
Do fundo do coração, desejo ao SLB a melhor sorte na Liga dos Campeões, mas em relação à pacificação do futebol tuga, parece-me (quase) impossível. O FC do Porto incomoda-os muito e precisam de muito álcool para dirigir os nossos êxitos.


sábado, 4 de agosto de 2018

Este querido mês de Agosto




Enquanto em Albufeira chove e cai pedra, aqui ao lado na Quinta da Marinha, estavam 44º.  à sombra
Tomei banho numa piscina, mas a água parecia sopa.